Ismael Ivo, coreógrafo morto por Covid aos 66 anos, batizará escola de dança

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL 21.02.2020 - Ismael Ivo. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL 21.02.2020 - Ismael Ivo. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo de São Paulo anunciou a criação da SP Escola de Dança Ismael Ivo, em homenagem ao coreógrafo e dançarino morto nesta quinta-feira (8) de Covid-19. A informação foi divulgada pela assessoria do governo, nesta sexta.

Prevista para inaugurar em 2022, a instituição promoverá cursos regulares e de extensão para formação técnica e artística de dançarinos brasileiros. Será localizada no centro da cidade, no terceiro andar do Complexo Júlio Prestes.

A construção da escola teve início em março, sob um custo de R$ 3,5 milhões.

"Será um prazer estar à frente de uma instituição que levará todo seu esforço em prol da dança e da arte a milhares de jovens brasileiros", afirmou o secretário da pasta cultural do estado paulisa, Sérgio Sá Leitao.

A escola será uma forma de celebrar Ivo, que era vice-presidente do Conselho Estadual de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. O artista, que ganhou fama na década de 1970, era um dos maiores nomes da dança contemporânea --dentro e fora do país.

Em 1984, Ivo cofundou o ImpulsTanz, de Viena, um dos mais importantes festivais de dança contemporânea da Europa.

Ele dirigiu o Teatro Nacional Alemão, em Weimar, e chefiou a seção de dança da Bienal de Veneza.

No Brasil, dirigiu o Balé da Cidade, o corpo de baile do Theatro Municipal de São Paulo, de 2017 a 2020, ano em que foi demitido após receber denúncias de assédio moral.

"Representatividade, carisma e inventividade são parte da lista de atributos que farão nos lembrar dele e que esperamos carregar conosco cada vez que a cortina do teatro se abrir, com a certeza de que sua dança permanece presente de muitas maneiras", afirmou em nota Inês Bogéa, diretora da São Paulo Companhia de Dança.