Isolamento de profissionais de saúde com Covid-19 pode cair para uma semana em casos excepcionais, define Ministério da Saúde

·1 min de leitura

BRASÍLIA — O Ministério da Saúde estabeleceu nesta quarta-feira que há possibilidade de reduzir o períoso de quarentena de trabalhadores de saúde com Covid-19 para uma semana em casos excepcionais ou de sobrecarga na saúde. A regra gera, contudo, permanece de dez dias de isolamento.

Para encurtar o afastamento, o profissional não pode apresentar sintomas respiratórios ou febre no 7º dia nem ter usado antitérmico nas 24 horas anteriores. É obrigatório apresentar teste de RT-PCR ou de antígeno com resultado negativo.

As orientações contam em nova versão do “Guia de Vigilância Epidemiológica Covid-19: Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional pela Doença pelo Coronavírus 2019”, publicado pela pasta.

“As medidas de isolamento e precaução devem iniciar imediatamente e só podem ser suspensas após 10 dias da data de início dos sintomas, desde que permaneça afebril sem o uso de medicamentos antitérmicos há pelo menos 24 horas e com remissão dos sintomas respiratórios. Em situações de excepcionalidade/sobrecarga dos serviços de saúde, o profissional poderá suspender o isolamento após 7 dias do início dos sintomas, desde que permaneça afebril sem o uso de medicamentos antitérmicos há pelo menos 24 horas E com remissão dos sintomas respiratórios E com resultado de TR-Ag não reagente ou de RT-PCR não detectado”, diz o documento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos