Isolamento social em SP atinge pior marca em um domingo desde o início de maio

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Com média de 46% neste domingo (27), o índice de isolamento social em São Paulo atingiu a pior marca em um domingo em sete semanas, segundo dados do governo paulista. A última vez que isso tinha ocorrido foi em 9 de maio, quando o estado já vivia a fase de transição.

Por outro lado, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) continua em ritmo de queda. Neste domingo o estado tinha 76,4% dos leitos ocupados, enquanto na semana passada eram 79,9% e na anterior, 82,3%.

Apesar da diminuição na taxa de ocupação das UTIs, o estado não vê melhora no número de mortes e de casos confirmados de Covid-19. Os indicadores do coronavírus em SP fizeram com que o governador João Doria prorrogasse mais uma vez a fase de transição até o dia 15 de julho.

O estado registrou ao todo cerca de 3,7 milhões de casos confirmados de Covid-19 e 126.112 mortes em decorrência da doença. A taxa de letalidade segue em 3,4%.

O trânsito, por outro lado, não apresentou mudanças significativas, segundo dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Foram 6 km de congestionamento neste domingo, contra 7 km no domingo passado e no retrasado.

Aumentou, porém, o número de carros nas ruas: de 1,7 milhão do domingo passado foi para 2,2 milhões neste domingo, cerca de 500 mil a mais. Há 15 dias, eram 2,3 milhões.

Segundo a SPTrans, na sexta-feira (25), cerca de 1,86 milhão de pessoas circularam nos ônibus da capital, enquanto na semana anterior (18), eram 1,82 milhão. A companhia não informa o número de passageiros aos finais de semana.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos