Israel abandonará imposto sobre plástico apesar de preocupações ambientais

JERUSALÉM (Reuters) - O novo governo de Israel abandonará o imposto do país sobre pratos e utensílios de plástico descartáveis, disse neste domingo o ministro das Finanças, Bezalel Smotrich, apesar das preocupações ambientais.

A decisão, que em tese contraria os esforços globais na redução da quantidade de resíduos plásticos que poluem os oceanos, ocorre após a oposição ao imposto por parte de partidos religiosos que disseram que ele visava injustamente suas comunidades.

Smotrich, que tomou posse na quinta-feira, disse que sua primeira decisão no cargo é cortar o imposto sobre o plástico, bem como um imposto sobre bebidas açucaradas "o mais rápido possível".

O Ministério de Proteção Ambiental do país, que relatou uma queda de 50% no uso desse tipo de plástico desde que o imposto foi introduzido em 2021, disse que está estudando a decisão de Smotrich e suas consequências.

Houve oposição ao imposto do plástico entre os partidos judeus ultraortodoxos, fortemente representados no novo governo liderado por Benjamin Netanyahu.

Um relatório parlamentar de novembro de 2021 descobriu que as famílias ultraortodoxas usavam utensílios de plástico três vezes mais do que o resto da população porque geralmente têm famílias grandes e de baixa renda, muitas sem máquinas de lavar louça.

(Por Ari Rabinovitch)