Israel cria comissão para investigar fuga de detentos palestinos

·1 minuto de leitura
Visão geral do presídio de Gilboa, no norte de Israel, de onde seis detentos palestinos escaparam através de um túnel escavado no banheiro de uma cela na segunda-feira, 6 de setembro de 2021. (AFP/Jalaa MAREY)

Israel criará uma comissão de investigação governamental para averiguar as circunstâncias da fuga recente de seis palestinos de uma prisão israelense, informou nesta quinta-feira (9) o gabinete do ministro de Segurança Pública em comunicado.

"Em coordenação com o primeiro-ministro Naftali Bennett, o ministro de Segurança Pública, Omer Bar-Lev, decidiu criar um comitê de investigação governamental, liderado por um juiz aposentado, para investigar as falhas que permitiram a fuga dos detentos, por motivos de segurança, da prisão de Gilboa na segunda-feira à noite", diz o comunicado.

As forças israelenses estão realizando uma enorme operação de busca desde a fuga ocorrida na última segunda de seis palestinos integrantes de grupos armados de um presídio de alta segurança no norte do país, através de um túnel escavado sob a pia no banheiro da cela.

Durante uma visita a outra prisão nesta quinta (9), Bar-Lev disse que queria "saber o que permitiu este fracasso".

O exército israelense anunciou ontem (8) a mobilização do reforço militar na Cisjordânia ocupada para capturar os seis prisioneiros foragidos.

Os efetivos estão utilizando drones de vigilância e montaram postos de controle nas estradas, sobretudo na Cisjordânia ocupada e nos arredores do território palestino da Faixa de Gaza, para tentar encontrar os prisioneiros, alguns dos quais foram condenados à prisão perpétua por seu papel em ataques contra Israel.

mib/feb/meb/eg/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos