Israel diz que vacinas de reforço contra Covid-19 parecem domar a Delta

·2 minuto de leitura
Vacinação contra a Covid-19 em Jerusálem

Por Maayan Lubell

JERUSÁLEM (Reuters) - Menos de um mês depois de começar a administrar vacinas de reforço contra Covid-19, Israel está vendo sinais de um impacto nas taxas altas de infecção e doenças graves do país impulsionadas pela variante Delta de rápida disseminação, disseram autoridades e cientistas.

A Delta chegou a Israel em junho, quando o país começava a colher os frutos de uma das campanhas de vacinação mais velozes do mundo.

Com a economia reativada e a maioria das restrições já descartada, Israel foi das infecções diárias de um dígito e da inexistência de mortes para cerca de 7.500 casos diários na semana passada, 600 pessoas hospitalizas em estado grave e mais de 150 fatalidades só naquela semana.

No dia 30 de julho, o país começou a administrar uma terceira dose da vacina da Pfizer/BioNtech a pessoas de mais de 60 anos, o primeiro do mundo a fazê-lo. Na quinta-feira passada, o país disponibilizou as vacinas para pessoas na faixa dos 40 anos cuja segunda dose foi dada ao menos cinco meses antes, dizendo que a faixa etária pode recuar mais.

Nos últimos 10 dias, a pandemia recuou entre membros da primeira faixa etária, mais de 1 milhão dos quais receberam uma terceira dose, de acordo com dados do Ministério da Saúde israelense e cientistas entrevistados pela Reuters.

A taxa de disseminação da doença entre pessoas vacinadas de 60 anos ou mais, conhecida como taxa de reprodução, começou a cair continuamente perto de 13 de agosto e recuou para 1, o que indica que cada pessoa infectada está transmitindo o vírus a menos de uma pessoa – uma taxa de reprodução de menos de 1 significa que o surto está em declínio.

Cientistas disseram que as vacinas de reforço estão tendo um impacto nas infecções, mas que outros fatores provavelmente também estão contribuindo para o recuo.

Depois de atingir uma das maiores taxas de infecção per capita do mundo neste mês, a questão agora é se Israel consegue sair de um quarto surto sem impor outro lockdown que prejudicaria sua economia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos