Israel põe Forças Armadas em alerta máximo após ataque dos EUA ao Irã

Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. Foto: Abir Sultan/Pool via REUTERS

As Forças Armadas de Israel informaram que suas tropas estão sob alerta máximo após o ataque aéreo promovido pelos Estados Unidos em Bagdá, no Iraque, ocasionar a morte de Qassem Soleimani, um dos líderes militares do Irã.

Aliado dos EUA no Oriente Médio e adversário do Irã, Israel é visto como um possível alvo de ataques caso o comando iraniano decide cumprir a promessa de se vingar pelo bombardeio norte-americano. Os israelenses ainda não se posicionaram publicamente sobre a crise.

Leia mais sobre o conflito entre Estados Unidos e Irã

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, também interrompeu uma viagem à Grécia, informou um porta-voz. A imprensa local informa que o ministro da Defesa, Naftali Bennett, se reuniu com chefes das Forças Armadas e da inteligência para “avaliar a situação”.

Membros do gabinete de segurança de Netanyahu foram instruídos a não comentar sobre os assassinatos de Soleimani e do chefe da principal milícia iraquiana, Abu Mahdi al-Muhandis, atingido na mesma operação dos EUA no Iraque.

A mídia israelense avalia que a posição do governo é uma tentativa de impedir possíveis retaliações por parte de representantes e aliados do Irã na região. Isso inclui o Hezbollah, movimento libanês apoiado por Teerã, e os grupos militantes palestinos Hamas e Jihad Islâmica, em Gaza.

Com informações da Reuters.