Israel prolonga fechamento de fronteiras por causa da covid-19 até 6 de março

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro israelense Netanyahu

Israel vai prolongar o fechamento de suas fronteiras por duas semanas como parte da luta contra a covid-19, anunciaram nesta quinta-feira (18) o Ministério da Saúde e o gabinete do primeiro-ministro em um comunicado conjunto.

"O governo votou a favor da prorrogação do fechamento das fronteiras por 14 dias, até 6 de março", informou o comunicado.

Israel suspendeu voos internacionais em 24 de janeiro para tentar enfrentar a pandemia e, posteriormente, fechou os pontos de fronteira com Egito e Jordânia.

Dessa forma, os voos internacionais não serão retomados no dia 21 de fevereiro, conforme planejado, e as fronteiras terrestres continuarão fechadas, salvo casos excepcionais.

No entanto, o governo autorizou a chegada de seis voos especiais com imigrantes judeus a bordo, da França, Rússia, Ucrânia, Etiópia e América Latina, entre os dias 23 e 26 de fevereiro, segundo o Ministério da Imigração.

Na última segunda-feira, o país começou a aliviar as medidas de restrição impostas para conter a pandemia do novo coronavírus.

A partir de 21 de fevereiro, lojas, shopping centers, museus e livrarias serão reabertos; hotéis poderão isso a partir de 7 de março se os casos continuarem a diminuir.

Com nove milhões de habitantes, Israel registrou mais de 741.000 casos da covid-19 e 5.501 mortes.

mib/feb/jvb/tly/bn/mvv