Israel repudia deputado que rasgou Novo Testamento

As autoridades israelenses repudiaram nesta quarta-feira o gesto do deputado de extrema direita que rasgou um exemplar do Novo Testamento, mas não anunciaram eventuais sanções.

"Lamentamos profundamente este comportamento e o condenamos do modo mais intenso. É um gesto que vai completamente contra nossos valores e tradições", declarou à AFP Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

"Israel é uma sociedade tolerante, mas temos tolerância zero diante deste ato vergonhoso e odioso", destacou Regev.

O deputado de extrema direita Michael Ben Ari rasgou um exemplar do Novo Testamento para denunciar o envio a membros do Parlamento deste livro "depreciativo", segundo a imprensa israelense.

Ben Ari, do partido de oposição União Nacional, é um dos parlamentares que recebeu pelo correio um exemplar do "Livro dos Testamentos", que inclui a Bíblia e o Novo Testamento, enviado pela Sociedade Bíblica Israelense.

"Este livro depreciativo provocou o assassinato de milhões de judeus durante a Inquisição", afirmou Michael Ben Ari em seu site NRG-Maariv. "É uma horrível provocação de parte da Igreja. Este livro e os que o enviaram deveriam ser lançados ao lixo da história".

Na carta que acompanha os livros, o diretor da Sociedade Bíblica Israelense, Victor Kalisher, informa aos parlamentares que esta nova edição do Livro dos Testamentos "esclarece as santas escrituras e ajuda a compreendê-las (...) ilustrando a relação estreita entre a Bíblia e o Novo Testamento".

Carregando...

YAHOO NOTÍCIAS NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Notícias