Israel teme ataques após suposta detenção de líder da Jihad Islâmica

O exército de Israel ordenou nesta terça-feira (2) o bloqueio de várias estradas perto da fronteira com a Faixa de Gaza por temer ataques a partir do território palestino após a suposta detenção de um líder da Jihad Islâmica na Cisjordânia.

"Após uma avaliação da situação e de atividades terroristas vinculadas à Jihad Islâmica palestina, decidimos bloquear as áreas e estradas próximas da cerca de segurança da Faixa de Gaza", anunciou o exército em um comunicado.

"A zona foi fechada aos civis devido à ameaça direta e com o objetivo de impedir um possível ataque contra civis", acrescenta a nota.

O exército também anunciou o fechamento de uma praia, a interrupção das viagens de trens entre as cidades de Ashkelon e Sderot, assim como o bloqueio da passagem de Erez, o único ponto que permite aos moradores passar da da Faixa de Gaza para o território israelense.

Cercado pelo Egito, pelo Mar Mediterrâneo e por Israel, o enclave palestino controlado pelo movimento islâmico Hamas está sob bloqueio israelense há mais de 15 anos.

Na segunda-feira à noite, as forças de segurança israelenses executaram uma operação em Jenin, norte da Cisjordânia, durante a qual "prenderam duas pessoas suspeitas de atividades terroristas".

De acordo com a imprensa israelense, uma das pessoas detidas é Bassam Saadi, líder da Jihad Islâmica na Cisjordânia, território palestino ocupado por Israel desde 1967.

A Jihad Islâmica é o principal grupo islamita armado palestino depois do Hamas.

Um palestino foi morto por tiros israelenses durante a operação, segundo o ministério da Saúde palestino.

alv/hj/es/zm/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos