Itália aumenta restrições contra Covid-19 em várias regiões em meio a salto de novos casos

Angelo Amante
·1 minuto de leitura

Por Angelo Amante

ROMA (Reuters) - O governo da Itália apertou neste sábado as restrições em cinco das 20 regiões do país, em um esforço para evitar um aumento nos casos de Covid-19, enquanto os cientistas alertavam sobre uma prevalência crescente de novas variantes altamente contagiosas.

A Itália estabeleceu um sistema codificado por cores de quatro camadas (branco, amarelo, laranja e vermelho) que permite que as medidas sejam calibradas de acordo com os níveis de infecção, com avaliações revisadas a cada semana.

Pela primeira vez desde o final de janeiro, duas regiões --Basilicata e Molise-- foram colocadas na zona vermelha mais estrita. Isso significa que bares e restaurantes devem ser fechados; movimentos, severamente restritos; e todas as lojas, exceto lojas essenciais, fechadas.

Três regiões passaram das zonas amarela para a laranja: Lombardia e Piemonte, onde estão as ricas Milão e Turim, cidades do norte, respectivamente, e a região costeira central de Marche.

Nessas áreas, restaurantes e bares estão fechados, exceto para "take-away", e as pessoas não estão autorizadas a deixar suas cidades, exceto em casos de emergência, trabalho e saúde.

A ilha da Sardenha tornou-se a primeira região a ser denominada zona branca, com apenas restrições mínimas.