Itália autoriza o desembarque apenas de imigrantes doentes e menores de idade

O novo governo de extrema-direita italiano autorizou neste domingo (6) o desembarque de imigrantes menores e doentes do navio da associação SOS Humanity, mas recusou-se a desembarcar 35 homens adultos, anunciou a ONG.

Três menores e um bebê foram os primeiros a desembarcar do "Humanity 1" nas primeiras horas do dia, seguidos por menores e adultos com problemas médicos, disse à AFP Petra Krischok, assessora de imprensa da SOS Humanity.

"Trinta e cinco homens adultos permanecem a bordo. Por enquanto, ficamos aqui e esperamos", acrescentou.

No total, 144 pessoas desembarcaram do "Humanity 1", um navio de bandeira alemã, no porto da Catânia.

O ministro do Interior, Matteo Piantedosi, disse no sábado que o governo cumpre suas obrigações humanitárias, mas aqueles que não são "qualificados" para serem recebidos na Itália devem ser acolhidos pelo Estado de bandeira do navio.

O navio alemão é uma das quatro embarcações humanitárias que reivindicam autorização para atracar com pessoas resgatadas no mar.

Entre os quatro barcos, que transportam mais de 1.000 pessoas recolhidas no Mediterrâneo, apenas o "Humanity 1" recebeu permissão para atracar.

A Alemanha pediu esta semana em uma nota diplomática ao novo governo italiano para fornecer "rapidamente sua ajuda" diante da "situação humanitária a bordo do navio".

O novo governo de extrema-direita da Itália, liderado por Giorgia Meloni e instalado em outubro, prometeu reprimir os imigrantes que tentam entrar na Europa.

ide/kjm/dth/me/an/mr