Itália conseguirá encarar inverno com níveis de gás atuais, diz ministro da Energia

Logotipo da Eni em estação de serviço no distrito de Eur em Roma

MILÃO (Reuters) - A Itália conseguirá passar pelo inverno com os atuais níveis de armazenamento e fluxo de gás, a menos que haja “eventos catastróficos”, disse o ministro da Energia do país neste domingo.

“Temos gás armazenado até mais de 90% (da capacidade)”, disse Roberto Cingolani à emissora de televisão estatal Rai 3, acrescentando que gás ainda estava fluindo à Itália, que também pode contar com um plano de economia antes do inverno.

“Nossas simulações mostram que, se não houver eventos catastróficos como meses de inverno muito frios ou outros desenvolvimentos da guerra (na Ucrânia), estamos cobertos para o inverno”, disse.

“O problema neste momento não é disponibilidade (do gás), mas (seu) preço”, disse Cingolani, acrescentando que Roma destinou outros recursos para garantir níveis de armazenamento entre 92% e 93% para poder ser flexível nos períodos de pico da temporada de inverno.

A companhia de energia Eni, maior importador de gás russo na Itália, disse neste domingo que não receberia nenhum gás que havia solicitado da russa Gazprom para segunda-feira, após outro alerta que havia feito na véspera. Em nota, a empresa disse ainda que a situação deve permanecer a mesma até 4 de outubro.

A interrupção aumentou as tensões causadas por vazamentos encontrados semana passada nos gasodutos Nord Stream 1 e 2 que ligam a Rússia à Alemanha, que tanto o Kremlin quanto o Ocidente atribuíram à sabotagem. (Por Federico Maccioni)