Itália descarta obrigatoriedade de vacina contra Covid, diz premiê

·1 minuto de leitura
.

ROMA (Reuters) - A Itália não tornará a vacinação contra Covid obrigatórias, disse o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, nesta quarta-feira, acrescentando que acredita que haverá uma procura de larga escala para as vacinas de forma voluntária.

"Não estamos cogitando (tornar a vacinação obrigatória), descartamos isso", disse Conte aos repórteres em sua coletiva de imprensa de fim de ano.

Separadamente, ele disse que a Itália precisa apressar a apresentação de seu plano de recuperação nacional para ter acesso a cerca de 209 bilhões de euros de um fundo da União Europeia concebido para ajudar as economias do bloco mais duramente atingidas pela pandemia.

A coalizão governista está travada por uma disputa sobre como o dinheiro deveria ser administrado e investido, e o pequeno partido Itália Viva, liderado pelo ex-premiê Matteo Renzi, ameaça derrubar o governo com frequência.

Conte disse que o governo finalizará e apresentará seu plano até fevereiro.

Conte disse que o governo vai finalizar e apresentar seu plano até fevereiro.

(Por Angelo Amante)