Itália identifica 11ª vítima fatal após rompimento de geleira

Subiu para 11 o número de mortes depois que parte da geleira de Marmolada se rompeu nos Alpes italianos, no último domingo. Avalanche ocorreu a cerca de 300 km/h, segundo cálculos da imprensa local, devido a uma onda de calor.

Mudanças climáticas: Onda de calor atinge Europa antes do previsto, e recordes de temperatura são esperados; veja fotos

— Podemos confirmar que identificamos todas as vítimas. Chegamos a 11 — afirmou o coronel Giampietro Lago, diretor do departamento científico da polícia após identificação por DNA da 11ª vítima fatal, e acrescenta:

— No momento, não temos indicações que nos permitam pensar que mais pessoas possam estar envolvidas.

Para as autoridades italianas, o aquecimento global e uma onda de altas temperaturas registrada este ano aceleraram o derretimento da geleira. Foi descoberta água acumulada sob o gelo, o que gera temores de que a geleira siga desabando.

— Hoje encontramos material técnico e orgânico. Agora a busca continua com drones e faremos o mesmo amanhã — disse o presidente da província de Trento, Maurizio Fugatti.

O MP de Trento abriu uma investigação para determinar as causas da tragédia, mas descartou "a previsibilidade do evento, negligência ou imprudência".

A geleira faz parte da montanha Marmolada, que tem cerca de 3.300 metros de altura e está situada na cordilheira das Dolomitas. Vídeos publicados nas redes sociais mostram uma grande quantidade de neve e gelo descendo pelo pico com bastante velocidade.

Segundo as informações do Socorro Alpino, a enorme placa de gelo se desprendeu próxima a Punta Rocca, um ponto muito usado por alpinistas para conseguir chegar ao topo da Marmolada. Todas as equipes da organização foram mobilizadas para o local.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos