Itália reabre fronteiras aos turistas da UE em 3 de junho

Funcionários de uma empresa desinfectam a frente da Arquibasílica de São João de Letrão de Roma, em 15 de maio de 2020

O governo italiano vai reabrir suas fronteiras para turistas da UE a partir de 3 de junho e removerá o isolamento obrigatório de 14 dias para visitantes estrangeiros na península - disseram fontes oficiais neste sábado (16).

As medidas foram anunciadas após um Conselho de Ministros de cerca de 10 horas, realizado na noite de sexta para sábado, e presidido pelo chefe de governo Giuseppe Conte.

Serão aplicadas "em conformidade com os vínculos derivados da ordem jurídica da União Europeia", afirmou o comunicado.

As fronteiras europeias do espaço Schengen estão fechadas atualmente.

Essas decisões podem ser modificadas com base no "risco epidemiológico" no país, onde pelo menos 31.500 pessoas morreram do novo coronavírus.

O turismo é um dos principais setores da economia italiana e contribui para algo em torno de 13% do PIB.

"A abertura das fronteiras italianas aos cidadãos europeus não apenas favorece o turismo, como também salva as colheitas com o retorno de cerca de 150.000 diaristas de Romênia, Polônia e Bulgária", disse um dos principais sindicatos agrícolas, o Coldiretti.

A partir de 3 de junho, os italianos também poderão viajar livremente por todo país, sem restrições, a menos que haja um surto da epidemia.

Confinados desde 10 de março e autorizados a se deslocar apenas em seu município por razões de saúde, ou a trabalho, os italianos poderão transitar livremente a partir de 18 de maio dentro de sua região, de acordo com o comunicado do governo.