Itália torna obrigatória vacina contra Covid a todos com mais de 50 anos

·1 min de leitura

Por Angelo Amante e Giuseppe Fonte e Gavin Jones

ROMA (Reuters) - A Itália tornou obrigatória a vacinação contra Covid-19 para pessoas a partir de 50 anos, um dos poucos países europeus a tomar este tipo de medida, na tentativa de aliviar a pressão sobre seu serviço de saúde e reduzir as mortes.

A medida entra em vigor imediatamente e irá até 15 de junho.

A Itália teve mais de 138 mil mortes por coronavírus desde o início da pandemia no país, em fevereiro de 2020, o segundo maior número de óbitos na Europa, só atrás do Reino Unido.

O governo do primeiro-ministro Mario Draghi já havia tornado a vacinação obrigatória para professores e profissionais de saúde e, desde outubro passado, todos os funcionários tiveram que ser vacinados ou apresentar teste negativo antes de entrar no local de trabalho.

A recusa resulta na suspensão do trabalho sem remuneração, mas não em demissão.

O novo decreto endurece a regra para os trabalhadores com mais de 50 anos, removendo a opção de fazer um teste em vez da vacinação. Não ficou claro qual seria a sanção para quem desrespeitar a medida.

O decreto foi aprovado após uma reunião de gabinete de duas horas e meia que contou com atritos dentro da coalizão multipartidária de Draghi.

"As medidas de hoje visam a manter nossos hospitais funcionando bem e, ao mesmo tempo, manter escolas e atividades comerciais abertas", disse Draghi, segundo seu porta-voz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos