Itália vai impor toque de recolher noturno em todo o país

·2 minuto de leitura
Pessoas usam máscaras no Coliseu, em Roma, em 9 de outubro de 2020
Pessoas usam máscaras no Coliseu, em Roma, em 9 de outubro de 2020

O chefe do governo italiano, Giuseppe Conte, anunciou nesta segunda-feira (2) perante o Parlamento que vai impor um toque de recolher noturno em nível nacional para conter a propagação da covid-19. 

Ele também anunciou que viagens a algumas regiões serão impedidas de acordo com o nível de risco. 

"A situação na Itália é grave", afirmou Conte, que pretende também aprovar o fechamento total de museus e exposições, enquanto os centros comerciais fecharão nos fins de semana e feriados. 

"Peço que permaneçamos unidos neste momento dramático", pediu Conte na Câmara dos Deputados, que deve assinar o decreto com as novas restrições ainda nesta segunda-feira. 

"A prioridade é defender a saúde", reiterou o chefe do governo, após reconhecer ter consciência da "revolta dos cidadãos", em referência às violentas manifestações dos últimos dias em algumas cidades contra as medidas.

A Itália evita por enquanto decretar um segundo confinamento nacional, mas o Executivo, a pedido dos especialistas que o assessoram, vai limitar a circulação de pessoas à noite, explicou Conte. 

Para evitar que as regiões com menos casos adotem medidas excessivas, serão estabelecidas "três fases de perigo", com restrições de acordo com a taxa de contaminação, o número de casos e internações. 

A Itália planeja ampliar a educação à distância e reduzir a capacidade do transporte público em 50%. 

Também vai proibir os videogames nos bares, enquanto cinemas, teatros, academias e piscinas já estão fechados desde 26 de outubro. 

A medida é mantida para restaurantes e bares, que não podem receber clientes após as 18 horas locais, medida que gerou protestos de donos de restaurantes. 

"Ontem registramos 1.930 pessoas em terapia intensiva", ou seja, "um pouco mais da metade" da capacidade que a Itália tem, alertou o chefe de governo. 

A Itália registrou quase 30.000 novos casos de coronavírus nas 24 horas no domingo, enquanto os italianos realizaram 180.000 testes para a doença. 

bur-kv/mb/bn