Itamaraju, na Bahia, é o município onde mais choveu no país em dezembro

·2 min de leitura
An aerial view shows flooded streets, caused due to heavy rains, in Itajuipe, Bahia state, Brazil December 27, 2021. Picture taken with a drone. REUTERS/Amanda Perobelli
Ruas completamente alagadas em Itajuipe, na Bahia

Segundo dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Itamaraju, no sul da Bahia, foi o município onde mais choveu no Brasil em dezembro deste ano, com 769,8mm de chuva. Esse número representa mais que o quíntuplo da climatologia deste mês (148,0mm).

Segundo Rui Costa, governador da Bahia, o estado registrou o maior acumulado de chuvas para dezembro nos últimos 32 anos.

A climatologia da chuva entre setembro e dezembro em Itamaraju é de 499,7mm; em Ilhéus é de 434,4mm; e em Porto Seguro é de 507,7mm. Logo, nesse período, as chuvas nessas regiões estão bem acima da média.

De acordo com dados meteorológicos, os três maiores acumulados de chuva entre 9h da última quinta-feira (23) e 9h de terça-feira (27) foram registrados em:

Valença: 215 mm, corresponde a mais do que o triplo da sua climatologia de dezembro (64,9mm);

Ilhéus: 209mm, corresponde a 70,2% a mais da sua climatologia de dezembro (122,8mm);

Salvador: 188mm, corresponde a mais do que o triplo da sua climatologia de dezembro (58,1mm);

Vistorias técnicas estão sendo feitas

Desde a última sexta-feira (25), o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) tem feito vistorias técnicas através da equipe de fiscalização e monitoramento ambiental nos municípios do sul, extremo sul e sudoeste, para verificar os impactos das barragens.

Durante as vistorias, foram identificadas barragens irregulares que se romperam no interior do estado como, por exemplo, em Iguá, Jussiape e Quati. De acordo com o governo estadual, foram realizadas, em conjunto com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec), Corpo de Bombeiros (CBMBA) e prefeituras locais, ações de intervenções emergenciais para evitar impactos à comunidade local.

Segundo o meteorologista do Inema, Mauro Bernasconi, o acumulado de chuvas tem relação com a formação de "corredores de umidade constantes", que vêm da Amazônia, atualmente pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma faixa de nuvens que se estende do sul da região amazônica até a área central do Atlântico Sul.

Em Itamaraju a previsão, para esta quarta (29) e quinta-feira (30) é de tempo nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. Já na sexta-feira (31) e no sábado (1°) a previsão é de muitas nuvens com possibilidade de chuva isolada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos