Itamaraju, na Bahia, é o município onde mais choveu no país em dezembro

An aerial view shows flooded streets, caused due to heavy rains, in Itajuipe, Bahia state, Brazil December 27, 2021. Picture taken with a drone. REUTERS/Amanda Perobelli
Ruas completamente alagadas em Itajuipe, na Bahia

Segundo dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Itamaraju, no sul da Bahia, foi o município onde mais choveu no Brasil em dezembro deste ano, com 769,8mm de chuva. Esse número representa mais que o quíntuplo da climatologia deste mês (148,0mm).

Segundo Rui Costa, governador da Bahia, o estado registrou o maior acumulado de chuvas para dezembro nos últimos 32 anos.

A climatologia da chuva entre setembro e dezembro em Itamaraju é de 499,7mm; em Ilhéus é de 434,4mm; e em Porto Seguro é de 507,7mm. Logo, nesse período, as chuvas nessas regiões estão bem acima da média.

De acordo com dados meteorológicos, os três maiores acumulados de chuva entre 9h da última quinta-feira (23) e 9h de terça-feira (27) foram registrados em:

Valença: 215 mm, corresponde a mais do que o triplo da sua climatologia de dezembro (64,9mm);

Ilhéus: 209mm, corresponde a 70,2% a mais da sua climatologia de dezembro (122,8mm);

Salvador: 188mm, corresponde a mais do que o triplo da sua climatologia de dezembro (58,1mm);

Vistorias técnicas estão sendo feitas

Desde a última sexta-feira (25), o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) tem feito vistorias técnicas através da equipe de fiscalização e monitoramento ambiental nos municípios do sul, extremo sul e sudoeste, para verificar os impactos das barragens.

Durante as vistorias, foram identificadas barragens irregulares que se romperam no interior do estado como, por exemplo, em Iguá, Jussiape e Quati. De acordo com o governo estadual, foram realizadas, em conjunto com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec), Corpo de Bombeiros (CBMBA) e prefeituras locais, ações de intervenções emergenciais para evitar impactos à comunidade local.

Segundo o meteorologista do Inema, Mauro Bernasconi, o acumulado de chuvas tem relação com a formação de "corredores de umidade constantes", que vêm da Amazônia, atualmente pela Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que é uma faixa de nuvens que se estende do sul da região amazônica até a área central do Atlântico Sul.

Em Itamaraju a previsão, para esta quarta (29) e quinta-feira (30) é de tempo nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. Já na sexta-feira (31) e no sábado (1°) a previsão é de muitas nuvens com possibilidade de chuva isolada.