Júpiter aparece com luas Calisto e Io em foto tirada pela sonda Juno

O 38º sobrevoo da sonda Juno por Júpiter rendeu uma bela foto das nuvens que cobrem o gigante gasoso, junto das luas Calisto e Io. Apesar de ter sido capturada no ano passado, a NASA divulgou a imagem na última semana, após os cientistas cidadãos Gerald Eichstädt e Thomas Thomopoulos aplicarem técnicas de processamento dos dados e ajustes de cores.

A foto foi capturada quando pelo instrumento JunoCam, quando a nave estava a cerca de 14 mil km do topo das nuvens do planeta. No momento do registro, a Juno se movia a cerca de 198 mil km/h em relação a Júpiter.

Confira:

Júpiter e as luas Io (acima) e Calisto (abaixo); a foto foi feita pela sonda Juno, quando estava a 14 mil km do topo das nuvens do planeta (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/G. Eichstädt/T. Thomopoulos)
Júpiter e as luas Io (acima) e Calisto (abaixo); a foto foi feita pela sonda Juno, quando estava a 14 mil km do topo das nuvens do planeta (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/G. Eichstädt/T. Thomopoulos)

Enquanto parte de Júpiter preenche a parte superior da foto, as luas Io e Calisto aparecem acima e abaixo, respectivamente. Eichstädt usou os dados “crus” da JunoCam para produzir a versão original da foto, que foi processada posteriormente por Thomopoulos.

Lançada em 2011, foi somente em 2016 que a sonda Juno começou a orbitar Júpiter, estudando tanto o planeta quanto suas luas e anéis. Em 2021, a NASA autorizou uma extensão para a missão, que deverá seguir ativa até 2025 ou até quando os sistemas da nave resistirem.

Futuro da sonda Juno

A Juno ainda tem bastante trabalho para sua missão estendida. Recentemente, ela sobrevoou a lua Europa, capturando as primeiras imagens próximas da lua em mais de duas décadas. Já em dezembro de 2023 e em fevereiro de 2024, ela irá sobrevoar a lua Io.

Durante os sobrevoos, a Juno realizará as primeiras passagens de alta proximidade de Io em décadas. Ao longo das visitas a esta lua, a Juno estudará os vulcões e geologia por lá, além de procurar sinais de um oceano de magma e investigar as interações entre Io e a magnetosfera de Júpiter.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: