Já teve covid? Butantan divulga onde doar plasma para projeto piloto

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
BRAZIL - 2020/11/10: In this photo illustration a medical syringe seen with an Instituto Butantan company logo displayed on a screen in the background.
Sinovac and Butantan Institute are testing the vaccine in Brazil. (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Butantan está fazendo projeto piloto de uso de plasma convalescente em Santos e em Araraquara (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Butantan divulgou onde doar plasma convalescente para projeto piloto

  • Pessoas do grupo de risco com covid-19 vão receber plasma

  • Projeto piloto acontece em Santos e em Araraquara

O Instituto Butantan criou uma rede de laboratórios para receber doação de plasma de convalescentes, de pessoas que já tiveram covid-19. Atualmente, a rede de hemocentros e postos de saúde catalogados pelo Butantan está restrita ao estado de São Paulo.

A doação de plasma funciona da mesma forma que a doação de sangue. O material tem anticorpos, responsáveis por estimular o organizo a se defender e gerar a própria resposta imune. O soro convalescente é a parte líquida do sangue, onde ficam os anticorpos que podem neutralizar a covid-19.

Leia também

Como funciona o plasma convalescente

Entre as pessoas com comorbidades estão pessoas com diabetes, com hipertensão arterial, coronariopatia e obesidade.

A ideia é que o paciente receba esse plasma, com anticorpos, para que o organismo consiga criar uma própria resposta imune. Nas palavras do presidente do Instituto Butantan, o plasma funciona como uma “vacina instantânea”. “É um concentrado de anticorpos de pessoas que já tiveram covid”, explicou Dimas Covas.

Quem vai receber o plasma

O projeto piloto do Butantan está sendo feito nas cidades de Santos e de Araraquara. Receberão o plasma pessoas imunossuprimidas, com comorbidades e maiores de 60 anos, todas diagnosticadas com a covid-19.