'Jackie Chan' mineiro que apanhou de motoboy em vídeo viral é indiciado por três crimes em Minas Gerais

·2 minuto de leitura
Na imagem, Jackie Chan aparece caído, de boné vermelho - Foto: Reprodução
Na imagem, Jackie Chan aparece caído, de boné vermelho - Foto: Reprodução

Após viralizar ao protagonizar uma verdadeira batalha em uma lanchonete em Minas Gerais, o suspeito conhecido como “Jackie Chan” foi indiciado por três crimes no Estado. O homem é investigado por embriaguez ao volante, disparo de arma de fogo e dano ao patrimônio público. As informações são do G1.

O vídeo que se tornou viral mostra Jackie Chan e um outro homem numa luta corporal intensa dentro de uma lanchonete. A vítima, contudo, reagiu, bateu e conteve os dois homens. Nesse dia, 12 de outubro, Jackie Chan foi detido por suspeita de tentativa de homicídio. Ao G1, o delegado Marcelo Fonseca Prado afirmou que essa acusação foi retirada e só foi mencionada porque ele pegou o revólver depois do confronto com o motoboy da lanchonete.

Leia também

"Foi ciúme de uma namorada, porém ele estava embriagado e enganou de pessoa. Esse motoboy não era o cara supostamente envolvido com a amásia do Jackie Chan e ele nada sabia do caso. O homem chegou na lanchonete com o comparsa, também embriagado. Eles discutiram e entraram em vias de fato. O motoboy bateu nos dois e, em seguida, pegou a motocicleta e saiu. Inconformado, Jackie pegou a arma de fogo em casa e voltou à lanchonete. Ele deu um tiro para o alto", explicou o delegado ao G1.

O verdadeiro nome de Jackie Chan é Rafael Junior da Costa Vieira. Ele tira aborda o motoboy e depois parte pra cima do homem, que reage e acaba batendo nele e em seu comparsa.

De acordo com a Polícia Militar, depois da briga, Jackie Chan buscou uma arma em sua casa, saiu pelo centro da cidade de Ouro Branco (MG) e atirou em um carro vazio parado na rua.

Ele foi então perseguido pela polícia que conseguiu pará-lo posteriormente. Segundo os agentes, Jackie Chan desceu do veículo com sintomas de embriaguez e ameaçou agredir os policiais. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro e ainda quebrou uma parede da 65ª Companhia de Polícia Militar, para onde foi levado.

"Estava totalmente transtornado. Os policiais perseguiram ele, localizaram, prenderam e levaram para o quartel. Algemado e embriagado, ele começou a chutar a parede de compensado e fez um buraco nela, quebrou o compensado. Xingou Deus e o mundo e foi encaminhado para a delegacia de Conselheiro Lafaiete, onde eu estava de plantão. Não foi impetrada fiança", conta o delegado ao G1.

Jackie Chan está detido desde o último dia 23 e essa seria sua sétima passagem por presídios na região. Ainda não há informações sobre uma possível denúncia formal contra o homem após o indiciamento.