Bolsonaro diz não se arrepender de ataque a jornalista e esbraveja: "não tem uma pergunta decente para fazer?

·3 minuto de leitura
Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images
Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images

Em visita à cidade de Ipatinga (MG), Jair Bolsonaro (sem partido) foi perguntando se estava arrependido por ter atacado verbalmente um repórter do Globo após ser questionado sobre os repasses de R$ 89 mil feitos à sua mulher, Michelle Bolsonaro, por Fabrício Queiroz.

Fabrício Queiroz, que cumpre prisão domiciliar, é investigado sob suspeita de ser operador financeiro do esquema de rachadinhas (distribuição ilegal de recursos públicos) no gabinete de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) durante mandato de deputado estadual no Rio de Janeiro.

Leia também:

"Não tem arrependimento aqui não. Com todo o respeito, não tem uma pergunta decente para fazer? Pelo amor de Deus", esbravejou Bolsonaro.

Diante da insistência do jornalista, Bolsonaro, visivelmente irritado, afirma: “se eu pisei na bola, lamento".

No domingo (23), o presidente ameaçou "encher de porrada" um repórter do jornal O Globo, que o perguntou sobre os depósitos.

Logo após o ocorrido, um movimento nas redes sociais replicou a pergunta feita pelo jornalista ofendido "Presidente Jair Bolsonaro, por que sua esposa, Michelle, recebeu R$ 89 mil de Fabrício Queiroz?".

Na segunda-feira (24), o presidente voltou a atacar a imprensa ao chamar jornalistas de “bundões” em evento sobre a pandemia do novo coronavírus.

“[É verdade] Aquela história de atleta, que o pessoal da imprensa vai para o deboche. Quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor. Só sabem usar a caneta para fazer maldade, em grande parte. A chance de [vocês, profissionais da imprensa] sobreviver é bem menor do que a minha", afirmou Bolsonaro em evento chamado “Brasil vencendo a Covid-19”.

Quebra de sigilo

A quebra do sigilo bancário do policial militar aposentado Fabrício Queiroz, no início de agosto, revelou novos repasses do amigo de Bolsonaro à sua esposa, Michelle. De acordo com a revista, os extratos colocam em dúvida a justificativa sobre empréstimos apresentada até aqui pelo presidente Bolsonaro.

Entre as transações de Queiroz, até o momento se sabia de repasses que somavam R$ 24 mil para a mulher do presidente. Mas, segundo a revista Crusoé, os cheques de Queiroz que caíram na conta de Michelle somam R$ 72 mil, e não os R$ 24 mil até então revelados nem os R$ 40 mil ditos pelo presidente.

A Folha de S.Paulo confirmou as informações obtidas pela revista. A reportagem também apurou que a mulher de Queiroz, Márcia Aguiar, repassou para Michelle R$ 17 mil de janeiro a junho de 2011. Foram cinco cheques de R$ 3.000 e um de R$ 2.000. Assim, no total, Queiroz e Márcia depositaram R$ 89 mil para primeira-dama de 2011 a 2016, em um total de 27 movimentações.

***Com informações da Folhapress