Jair Bolsonaro é submetido a cirurgia de emergência

Bolsonaro foi esfaqueado enquanto cumpria agenda de campanha em Juiz de Fora (MG). Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press

Candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia de caráter emergencial na noite desta quarta-feira (12), no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Bolsonaro está internado desde quinta-feira (6) quando sofreu um atentado enquanto cumpria agenda de campanha em Juiz de Fora (MG).

O candidato recebeu uma facada de Adélio Bispo de Oliveira que se encontra preso pela Polícia Federal. Ele recebeu foi inicialmente atendido na Santa Casa de Juiz De fora (MG) aonde teve passou por uma laparoscopia exploratória e teve hemorragia controlada.  Bolsonaro chegou a perder 40% do sangue devido ao ataque. Após ter seu quadro clínico estabilizado, Bolsonaro foi transferido de Minas Gerais para o hospital Albert Einstein, em São Paulo na sexta-feira (7).

 

Em contato com o jornal “Folha de S.Paulo”, o presidente da UDR (União Democrática Ruralista), Nabhan Garcia, que é amigo e apoiador de Bolsonaro e está no hospital com o deputado disse que o candidato não passou bem na noite de terça-feira (11). “Ele está em cirurgia agora, foi submetido há pouquíssimo tempo a essa cirurgia”, explicou.


Haddad mantém versão paz e amor e diz que não vai “bater-boca” na campanha
TSE concede direito de resposta a Bolsonaro em programa de Alckmin
Justiça nega teste de sanidade mental pedido por defesa do agressor de Bolsonaro

“O capitão não passou bem à noite, teve muitas náuseas, chegou a vomitar, teve muita distensão abdominal. Passou 24h agonizando. Pelo que entendi, duas alças do intestino colaram e obstruíram a região”, disse Gustavo Bebianno, presidente do PSL.

O estado de saúde de Bolsonaro piorou na manhã desta quarta-feira, quando foi reintroduzidas a alimentação venosa. Ele reagiu mal a uma tentativa de reiniciar alimentação via oral com alimentos sólidos. O capitão reformado do Exército teve  inchaço abdominal e se queixou de dores ao longo do dia. Após tomografia na noite desta quarta-feira, os médicos identificaram suspeitas de aderências nas paredes do abdômen. Um problema comum em pacientes que sofreram um grande trauma como uma facada. O procedimento cirúrgico é emergencial e a operação está sendo conduzida pelo médico Antônio Macedo.

Às 23h desta quarta-feira, o Hospital Albert Einstein divulgou novo boletim médico. Leia na íntegra:

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, continua internado na unidade de cuidados semi-intensivos do Hospital Israelita Albert Einstein.

Evoluiu agora com distensão abdominal progressiva e náuseas, foi submetido a uma Tomografia de abdômen que evidenciou presença de aderência obstruindo o intestino delgado. 

Foi indicado o tratamento cirúrgico, que está sendo realizado neste momento. 

Médicos Responsáveis:

Dr. Antônio Luiz Macedo, cirurgião

Dr. Leandro Echenique, clínico e cardiologista

Diretor Superintendente:

Dr. Miguel Cendoroglo, Diretor Superintendente do Hospital Israelita Albert Einstein

A cirurgia terminou por volta das 23h40. O procedimento foi bem-sucedido e Bolsonaro passa bem. Foram retiradas aderências que obstruíram o intestino delgado do candidato e corrigida uma fístula surgida em uma da suturas feitas na  primeira operação  que ele foi submetido em Juiz de Fora (MG).

Segundo a Globonews, Bolsonaro já acordou e segue em tratamento na UTI do hospital Albert Einstein, em São Paulo.