Haddad chama Bolsonaro de "frio serial killer" após presidente falar em "mimimi" e "frescura"

·1 minuto de leitura
Foto: HEULER ANDREY/AFP via Getty Images
Foto: HEULER ANDREY/AFP via Getty Images

Possível candidato de oposição para as eleições presidenciais de 2022, Fernando Haddad reagiu às falas de Jair Bolsonaro (sem partido) e chamou o presidente de "frio serial killer" (assassino em série, em tradução livre) por colocar "o que passa fome contra o que morre asfixiado". 

Nesta quinta-feira (04), Bolsonaro afirmou que as medidas de fechamento de atividades não essenciais, para conter a circulação e tentar frear o rápido avanço da pandemia do novo coronavírus no país, são "frescura" e "mimimi". O presidente ainda questionou "até quando" alguns brasileiros ficarão chorando os mortos pela Covid-19 que já vitimou mais de 260 mil brasileiros. 

Leia também

"Bolsonaro é um frio serial killer: coloca o que passa fome contra o que morre asfixiado sem assistir nenhum dos dois", escreveu Fernando Haddad. 

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Haddad foi derrotado por Bolsonaro no segundo turno das eleições presidenciais. O petista tem dado uma série de declarações condenando a postura negacionista adotada pela gestão Bolsonaro durante a maior crise sanitária do século. 

O terceiro colocado nas eleições de 2018, que também deve disputar o posto em 2022, Ciro Gomes (PDT) foi outro que condenou as falas de Bolsonaro. Para o ex-governador do Ceará, o presidente passou de qualquer limite e é preciso abrir um processo de impeachment para tirá-lo do cargo. 

"Procuro transformar minha enorme tristeza em revolta e luta! Bolsonaro está passando de qualquer limite. Impeachment e cadeia para este criminoso!", disse Ciro Gomes, que ainda incluiu a hashtag de "Bolsonaro coveiro do Brasil em sua mensagem.