Bolsonaro cita "hétero" entre suas qualidades e reclama de "politicamente correto"

Yahoo Brasil
Foto: AP Photo/Eraldo Peres

O presidente Jair Bolsonaro criticou a imprensa e fez um discurso contra o que ele chamou de "politicamente correto" em sua transmissão ao vivo no Facebook nesta quinta-feira (5), reclamando que, segundo ele, não se pode fazer mais piadas no Brasil sem ofender algum grupo.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Pouco tempo antes, acompanhado do secretário da Pesca, ele colocou o fato de ser heterossexual como uma de suas próprias qualidades, ao falar de uma interação que teve com um empresário de São Paulo nesta quinta.

Leia também

"Hoje, um empresário começou a falar das qualidades do presidente. 'Ele é honesto, trabalhador', falou tanta coisa... faltou falar 'hétero'. Eu falei [ao empresário]: 'hétero!. Passou a ser qualidade agora", disse Bolsonaro, interagindo entre risos com o secretário da Pesca, Jorge Seif. "Tu é hétero?", questionou o presidente na sequência; "Claro!", respondeu Seif.

Depois, Bolsonaro passou a criticar a imprensa e disse que os jornalistas precisam "transmitir a verdade", ante de iniciar um discurso contra o "politicamente correto". "Se [o governo] errar, mete o cacete, sem o menor problema. Mas publica a verdade", disse. "Não fica buscando números distorcidos para dizer que o governo não vai bem, que não é democrático."

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Bolsonaro aludiu ao episódio em que disse que um apoiador negro "pesava oito arrobas" – unidade de medida usada na pesagem de bovinos e suínos – para reclamar das reportagens que noticiam suas declarações.

"Não dá para [a imprensa] continuar falando e distorcendo, procurando uma palavrinha esquisita ali... 'falou que pesa oito arrobas e não pode', aquela polêmica toda. 'Criticou a mulher, criticou gay, criticou não sei quem'. Não dá para continuar assim."

"Estamos perdendo direito de fazer piada no Brasil. Tudo tem que ser politicamente correto. Você não pode contar uma piada sem pensar que vai ofender gordinhos... é gordofóbico? Os carecas? É 'carecofóbico'? O tempo todo assim. Está chato de viver no Brasil dessa maneira", concluiu Bolsonaro.

Ataque à Folha

 Bolsonaro atacou veículos de imprensa, nominalmente a Folha de S.Paulo, ao falar sobre o episódio em que o humorista Márvio Lúcio, o Carioca, tentou distribuir bananas aos jornalistas na frente do Palácio da Alvorada.

O presidente abordou o assunto dizendo que "faria uma propaganda da TV Record". "Vai estrear um quadro no domingo e eu estou lá. Esteve aqui no Alvorada o humorista Carioca, gravou uma entrevista descontraída comigo", disse Bolsonaro.

O presidente, que disse não estar conversando com a imprensa por discordar da cobertura sobre o governo, afirmou que os repórteres ficaram irritados com a atitude de Carioca de distribuir as bananas – uma alusão a um ato do próprio Bolsonaro, que recentemente fez gestos de 'banana' para jornalistas que o acompanhavam.

"A imprensa perguntou para mim: 'e o PIB?', e eu disse: 'o presidente hoje é ele' [Carioca].  Manchete da Folha de S.Paulo: 'PIB cai e Bolsonaro faz piada'. Piada é a Folha de S.Paulo, e tem gente que anuncia nesse lixo, é impressionante", atacou. "Não tem espírito esportivo e falam besteira."