Bolsonaro: Quem votar em um cara como Lula merece sofrer

·2 minuto de leitura
Bolsonaro já declarou publicamente sua insatisfação com a decisão do STF que devolvou direitos políticos ao petista - Foto: AP Foto/Eraldo Peres
Bolsonaro já declarou publicamente sua insatisfação com a decisão do STF que devolvou direitos políticos ao petista - Foto: AP Foto/Eraldo Peres
  • Bolsonaro voltou a atacar Lula depois que petista recuperou seus direitos políticos

  • Presidente já havia criticado eventual volta do petista ao poder na sua última transmissão ao vivo

  • Por 8 a 3, STF anulou condenações contra petista na semana passada

Apesar de declarar constantemente que não pensa em uma eventual reeleição em 2022, Jair Bolsonaro (sem partido) segue disparando contra um dos seus possíveis competidores no pleito. Nessa segunda-feira (19), em conversa com apoiadores, o presidente afirmou que quem "porventura" votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "merece sofrer".

Na última semana, o Supremo Tribunal Federal (STF), órgão com o qual Bolsonaro entra em constantes atritos, confirmou a retomada da elegibilidade do petista. Ao comentário a decisão, o presidente da República foi enfático quanto a uma eventual volta do petista ao Palácio do Planalto.

Leia também

"Foi 8 a 3 o placar lá, né. Interprete como você quiser. Agora, pelo amor de Deus. Um povo que porventura vote num cara desses é um povo que merece sofrer", atestou Bolsonaro.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em sua ultima transmissão ao vivo, realizada na quinta-feira (15), Bolsonaro também citou o petista em duas ocasiões. Primeiro, numa fala semelhante a desta segunda, porém dando a entender que o sistema eleitoral brasileiro não é confiável sem, no entanto, demonstrar provas.

"Se o Lula voltar pelo voto direto, pelo voto auditável, tudo bem. Agora, veja qual vai ser o futuro do Brasil com o tipo de gente que ele vai trazer para dentro da Presidência", disse Bolsonaro.

Na sequência, ele lembrou que, se eleito, petista terá direito a escolher dois ministros do STF em vagas que se abrirão na Corte em março de 2023.

"Se o Lula for eleito, em março de 2023, ele vai escolher mais dois ministros para o Supremo Tribunal Federal", disse em tom de ameaça.

STF devolve direitos políticos a Lula

Agora elegível, Lula é visto como um dos principais adversários de Bolsonaro em uma eventual disputa em 2022 - Foto: AP Photo/Andre Penner
Agora elegível, Lula é visto como um dos principais adversários de Bolsonaro em uma eventual disputa em 2022 - Foto: AP Photo/Andre Penner

O STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria nesta quinta-feira (15), manteve a anulação das condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e devolveu os direitos políticos do petista. O placar ficou em 8x3.

Como votaram os ministros do STF na anulação das condenações de Lula:

Favorável

  • Edson Fachin, relator;

  • Ricardo Lewandowski;

  • Gilmar Mendes;

  • Rosa Weber;

  • Alexandre de Moraes;

  • Dias Toffoli; e

  • Luís Roberto Barroso;

Contrário

  • Kassio Nunes Marques;

  • Marco Aurélio Mello; e

  • Luiz Fux, presidente do Supremo e último a votar