Bolsonaro 'deu uns tapas' em Michelle, diz deputado ex-aliado do presidente

Ex-aliado de Bolsonaro afirmou que presidente e Michelle mantém 'casamento de fachada' - Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images
Ex-aliado de Bolsonaro afirmou que presidente e Michelle mantém 'casamento de fachada' - Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images

Ex-aliado de Jair Bolsonaro (PL), o deputado federal Julian Lemos (União-PB), acusou durante entrevista ao ‘podcast Arretado’, o presidente de bater na primeira-dama Michelle Bolsonaro, depois de ela ter colocado silicone.

Ao ser questionado sobre a relação de Bolsonaro com Michelle, o parlamentar afirma que o relacionamento seria de "fachada".

"[A relação de Bolsonaro e Michelle] é de fachada, fachada. Ela não aguenta nem ver ele", disse Julian, na conversa.

Na sequência, o ex-aliado de Bolsonaro, diz que o presidente teria dado ‘uns tapas’ na primeira-dama, após ela colocar silicone. No entanto, ele não detalhou como ficou sabendo das supostas agressões de Bolsonaro contra Michelle.

"Ele [Bolsonaro] deu uns tapas nela, durante as primeiras férias dele, que ele foi pra uma ilha. Ela foi colocar um silicone e ele deu uns tapas nela, dentro de casa. E agora deu outros empurrões nela de novo", completou o parlamentar.

Ainda de acordo com o deputado, Michelle não esteve com Bolsonaro no primeiro discurso após a derrota dele para o petista Luiz Inácio Lula da Silva, nas eleições deste ano, porque "ela está toda marcada".

“Ela não estava porque estava toda marcada. Manda ela aparecer aí”, disse o deputado na entrevista.

O parlamentar foi considerado nas eleições de 2018, um "coordenador de campanha no Nordeste" pelo presidente Bolsonaro.

No entanto, após um ano de mandato presidencial, Julian já demonstrava insatisfação com as ações de Bolsonaro.

Além disso, ele foi um dos entusiastas da candidatura do ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro, a quem declarou apoio publicamente.

O deputado em 2020, fez diversas denúncias na imprensa contra Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Bolsonaro. Na ocasião, o congressista afirmou que o deputado usou recursos do fundo partidário para dar de entrada na compra de um apartamento.

Em 2021, Julian e Eduardo Bolsonaro voltaram a trocar farpas: ele foi acusado de ser "traidor" e "ladrão de auxílio", e respondeu às acusações dizendo ser vítima da "Gestapo de Eduardo Bolsonaro".