Aliada de Bolsonaro, deputada Carla Zambelli antecipou operação da PF contra governadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil vía AP
Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil vía AP

Uma das principais aliadas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) disse que a Polícia Federal irá deflagrar operações para investigar irregularidades cometidas por governadores durante a pandemia.

A informação foi revelada em entrevista ao programa Timeline, da Rádio Gaúcha, nesta segunda-feira, dia 25, um dia antes da Operação Placebo ser desencadeada pela PF no Rio de Janeiro, onde 12 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em vários locais, entre eles Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador Wilson Witzel, e a casa onde ele vivia antes de ser empossado, no bairro Grajaú, na Zona Norte da capital fluminense. Bolsonaro e Witzel eram aliados nas eleições de 2018, mas romperam no ano passado.

“A gente já teve algumas operações da Polícia Federal que estavam ali, na agulha, para sair, mas não saíam. E a gente deve ter, nos próximos meses, o que a gente vai chamar, talvez, de ‘Covidão’ ou de... Não sei qual vai ser o nome que eles vão dar. Mas já tem alguns governadores sendo investigados pela Polícia Federal”, disse na entrevista.

Leia também

Na manhã desta segunda-feira, 15 equipes da PF participaram da Operação Placebo, que tem a finalidade de apuração dos indícios de desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus no Estado do Rio de Janeiro. Doze mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos, sendo dez na capital fluminense e dois na cidade de São Paulo. Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Investigações iniciadas no Rio pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual e pelo Ministério Público Federal apontam para a existência de um esquema de corrupção envolvendo uma organização social contratada para a instalação de hospitais de campanha e servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do estado.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

***Do Extra

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos