Jair Bolsonaro quebra silêncio

Jair Bolsonaro quebrou o silêncio, quase dois dias depois da derrota eleitoral frente a Luiz Inácio Lula da Silva.

O ainda presidente do Brasil falou pouco mais de dois minutos. Na pequena declaração não felicitou Lula, mas agradeceu aos 58 milhões de brasileiros que votaram nele.

Bolsonaro sublinhou que enquanto presidente e cidadão vai cumprir sempre a Constituição e deixou um recado aos apoiantes que bloqueiam as estradas.

"Os atuais movimentos populares são o fruto de indignação e sentimento de injustiça de como se deu o processo eleitoral. As manifestações pacíficas sempre serão bem-vindas, mas os nossos métodos não podem ser os da esquerda, que sempre prejudicaram a população", disse.

As palavras do ainda presidente surgiram no dia em que o Brasil cumpre cerca de dois dias de quase paralisia, com centenas de estradas, em vários estados, bloqueadas pelos seus apoiantes, que protestam contra a vitória de Lula da Silva.

Horas antes, o presidente do Supremo Tribunal Federal ordenou ao Governo que adotasse, de imediato, todas as medidas necessárias e suficientes para desobstruir as rodovias bloqueadas pelos chamados "bolsonaristas".

Apesar de Jair Bolsonaro não ter falado do assunto, após a declaração do presidente, o ministro da Casa Civil afirmou qie a transição segue agora de forma normal. Embora Bolsonaro não o tenha feito diretamente, este pode ser o reconhecimento da sua administração do resultado do escrutínio presidencial.

Entretanto, Lula da Silva escolheu o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, para coordenar a equipa de transição.

A tomada de posse está marcada para o dia 01 de janeiro de 2023.