Criticado mundialmente por queimadas, Bolsonaro diz que Brasil está "de parabéns" por preservação ambiental

·2 minuto de leitura
Foto: AP Photo/Eraldo Peres
Foto: AP Photo/Eraldo Peres

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira (17) que o “Brasil está de parabéns” pela forma como preserva o seu meio ambiente. A fala vem em meio ao aumento recorde nas queimadas no Pantanal e um dia depois de um grupo de oito países enviar uma carta ao governo Bolsonaro dizendo que o desmatamento pode prejudicar as compras de produtos brasileiros.

"O Brasil é o país que mais preserva o meio ambiente e, não entendo como, é o país que mais sofre ataques no tocante ao seu meio ambiente. O Brasil está de parabéns pela maneira como preserva o seu meio ambiente”, afirmou Bolsonaro durante a cerimônia de inauguração de uma usina fotovoltaica no interior da Paraíba.

Leia também

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) indicam um aumento de 208% nas queimadas no Pantanal entre 1º de janeiro e 16 de setembro deste ano em relação ao mesmo período de 2019. Neste ano, foram registrados 15.756 focos de incêndio no bioma, o maior número desde que o monitoramento começou.

De acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), pelo menos 2,9 milhões de hectares do Pantanal já foram destruídos pelo fogo, o equivalente a 19% de toda a sua área.

Na Amazônia, o aumento das queimadas é de 12%. Quanto ao desmatamento, o Inpe detectou um aumento de 34,5% entre agosto de 2019 e julho de 2020 em comparação com o mesmo período dos anos de 2018 e 2019.

Um grupo formado por Alemanha, Holanda, Bélgica, Reino Unido, França, Itália, Noruega e Dinamarca enviou uma carta ao governo brasileiro alertando para a situação.

“Enquanto os esforços europeus buscam cadeias de suprimentos não vinculadas ao desflorestamento, a atual tendência crescente de desflorestamento no Brasil está tornando cada vez mais difícil para empresas e investidores [da Europa] atender a seus critérios ambientais, sociais e de governança”, ressalta a carta.

Nesta quarta-feira, Bolsonaro já havia chamado as críticas internacionais de “desproporcionais”.

“[Existem] críticas desproporcionais à Amazônia e ao Pantanal. A Califórnia está ardendo em fogo, a África tem mais foco que o Brasil”, acusou o presidente.