Datafolha: Para 55%, Bolsonaro tem responsabilidade por atos terroristas no DF

Os brasileiros se dividem entre os que acham que Bolsonaro teve muita responsabilidade (38%) e os que afirmam que teve um pouco (17%).

Nos EUA desde o fim de dezembro, Bolsonaro tem sido ligado aos atos golpistas realizados em Brasília no último fim de semana - Foto: AP Photo/Eraldo Peres
Nos EUA desde o fim de dezembro, Bolsonaro tem sido ligado aos atos golpistas realizados em Brasília no último fim de semana - Foto: AP Photo/Eraldo Peres

Para 55% dos brasileiros, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) teve responsabilidade pelos atos de vandalismo em Brasília no início da semana, é o que aponta a pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (12).

Segundo o levantamento, dessa porcentagem, os brasileiros se dividem entre os que acham que Bolsonaro teve muita responsabilidade (38%) e os que afirmam que teve um pouco (17%).

Para 39% dos entrevistados ouvidos pelo país, o ex-presidente não teve nenhuma responsabilidade, e 6% não souberam responder.

O levantamento foi feito entre terça (10) e quarta-feira (11), com 1.214 entrevistados pelo país. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações feitas para aparelhos celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

O levantamento do instituto mostra ainda que 45% das pessoas concordam com a afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de que Bolsonaro estimulou os atos violentos. Desses, 34% concordam totalmente com o petista, e 11% o fazem apenas em parte.

Sobre a afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de que Bolsonaro estimulou os atos às sedes dos Três Poderes e à democracia ocorrido no último domingo (8), um universo de 45% discorda da avaliação do petista, sendo 31% os que divergem totalmente e 14% os que discordam dele em parte. Há ainda uma fatia de 2% que não concorda nem discorda com a afirmação do presidente e um grupo de 8% que não sabe responder.

Durante a invasão às sedes do STF (Supremo Tribunal Federal), do Congresso Nacional e do Palácio do Planalto, os terroristas quebraram vidraças e móveis, vandalizaram obras de arte e objetos históricos, invadiram gabinetes de autoridades, rasgaram documentos e roubaram armas.

No dia do ato golpista, cerca de 300 pessoas foram presas em flagrante por vandalismo e ato terrorista. Na segunda-feira (9), mais de 1 mil pessoas foram detidas em frente ao Quartel General do Exército em Brasília, após o Ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinar que as áreas militares ocupadas por manifestantes fossem evacuadas.

Moraes, também afastou do cargo por 90 dias o governador do DF, Ibaneis Rocha, e decretou a prisão de Anderson Torres, que era secretário de Segurança do DF no momento dos ataques de bolsonaristas golpistas.