"Jamais digam que quando a mulher eleva a sua voz ela é descontrolada", diz Simone Tebet

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Senadora Simone Tebet concede entrevista (Foto: Pedro França/Agência Senado)
Senadora Simone Tebet concede entrevista (Foto: Pedro França/Agência Senado)
  • "Essa palavra nos toca muito mais fortemente ", destacou Simone Tebet

  • A senadora foi chamada de "descontrolada" pelo ministro da CGU, Wagner Rosário

  • Este não foi o único episódio de machismo sofrido pela parlamentar

A senadora Simone Tebet (MDB-MT) se manifestou mais uma vez, nesta quarta-feira (22), sobre ter sido chamada de "descontrolada" pelo ministro da Controladoria Geral da União, Wagner Rosário, durante reunião da CPI da Pandemia.

"Essa palavra não vem à toa, ela está no inconsciente daqueles que ainda acham que mulheres são menores, são inferiores. Essa palavra nos toca muito mais fortemente ", destacou a senadora sobre o episódio de machismo sofrido por ela.

A comissão ouve nesta quarta o diretor da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, mas, antes do início do depoimento, o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM) deu a palavra à parlamentar.

"Não agridam a mulher de forma alguma. A essas mulheres que são porta-vozes de outras mulheres, jamais digam que quando ela eleva a sua voz ela é histérica ou descontrolada. Ela exerce o seu papel com firmeza, com o dever que tem de defender todas as outras mulheres, muitas vezes oprimidas no Brasil", completou Simone Tebet.

Senadora foi chamada de "descontrolada" pelo ministro da CGU

CPI da Covid tem confusão em depoimento de Wagner Rosário, ministro da CGU (Foto: Reprodução)
CPI da Covid tem confusão em depoimento de Wagner Rosário, ministro da CGU (Foto: Reprodução)

Simone Tebet falava na terça-feira sobre irregularidades no contrato do Ministério da Saúde com a Precisa Medicamentos para a compra da vacina indiana Covaxin e disse que Wagner Rosário foi omisso.

"Temos um controlador que passa pano, deixa as coisas acontecer", ressaltou Tebet.

Rosário argumentou que Simone disse "inverdades" e chamou a parlamentar de "descontrolada". Além disso, mandou que ela lesse tudo de novo.

"Bem, senadora, com todo o respeito à senhora, eu recomendo que a senhora leia tudo de novo porque a senhora falou uma série de inverdades aqui", disse o ministro.

Depois disso, senadores saíram em defesa de Tebet e a sessão acabou encerrada.

Simone Tebet também foi alvo de Flávio Bolsonaro

Esse não foi o único episódio de machismo enfrentado por Tebet. Durante reunião no dia 14 de julho, Tebet foi interrompida por Flávio Bolsonaro enquanto fazia seus questionamentos à depoente.

Ela pediu que o parlamentar a deixasse terminar de falar. A discussão continuou e, quando todos os microfones dos senadores estavam fechados, a senadora disse que o filho do presidente Jair Bolsonaro a havia ofendido. "No microfone ele não tem coragem de dizer o que ele disse pra mim agora", ressaltou.

Em entrevista ao Yahoo! Notícias, Simone Tebet não revelou o que foi dito por Flávio Bolsonaro, mas fez cobranças sobre as atitudes de parlamentares que tentam calar e atrapalhar o trabalho das senadoras que fazem parte da CPI. 

"Esse é o tipo de conduta que não poder relativizada, não pode ser tida como algo normal. A urbanidade e o bom trato têm que fazer parte da sociedade brasileira", completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos