James Webb: saiba quem foi o astrofísico que liderou a Nasa e gerou polêmica sobre homofobia

O telescópio James Webb tem sido um dos assuntos mais falados nos últimos dias, mostrando imagens espaciais nunca vistas antes. O nome foi dado em 2002 quando o administrador da Nasa na época, Sean O'Keefe, anunciou que o próximo telescópio da agência teria o nome do líder da Nasa na década de 1960, momento que o órgão americano se preparava para pousar pessoas na Lua. Webb foi um grande defensor da ciência espacial, porém, teve sua biografia arranhada por atitudes homofóbicas.

Mulher diz ter sido envenenada após pegar uma nota de dólar no chão do McDonald's; 'pensei que eu ia morrer'

Em Mato Grosso: Homem é preso por queimar a filha bebê

A escolha do nome do telescópio não foi de total agrado entre os astrônomos porque Webb teve certa responsabilidade por um escândalo durante o governo do presidente Henry Truman (1945-1953) popularmente conhecido como "Lavender Scare" ("Susto da Lavanda", em tradução literal), cuja perseguição a homossexuais foi creditado ao astrofísico. Naquela época, enquanto subsecretário de Estado, Webb apoiou a demissão de funcionários gays e lésbicas do Departamento do Estado. Questão que veio à tona com a publicação de um artigo de opinião na Scientific American, intitulado "O telescópio espacial James Webb precisa de outro nome" escrito por quatro astrônomos: Lucianne Walkowicz, Chanda Prescod-Weinstein, Brian Nord e Sarah Tuttle.

O pronunciamento da Nasa foi de que investigaria as alegações e, em seguida, publicaria um relatório. O que não aconteceu. O atual administrador da Nasa, Bill Nelson, alegou que não havia necessidade de mudar o nome e muito menos publicar um relatório, o que o tornou alvo de críticas.

Depois que o telescópio foi lançado, a revista Nature informou, em março, que a Nasa tinha considerado as reivindicações escrevendo para Paul Hertz, então diretor de astrofísica da Nasa, perguntando se o nome seria trocado. Sem conversar com nenhum astrônomo da comunidade LGBT+, a resposta foi "não".

O caso Clifford Norton também foi registrado pela revista. Demitido da Nasa em 1963, no mandato de Webb, o motivo foi ser gay. Os materiais de arquivo mencionam "um costume na agência" de demitir pessoas por atividades homossexuais o que fez Norton recorrer e ganhar um caso histórico, em 1969, contra discriminação.

Vídeo: Carro invade loja de conveniência e por pouco não atropela homem

O'Keefe ainda defendeu, em novembro de 2021, a sua escolha em um e-mail ao Comitê Consultivo de Astrofísica da Nasa quando foi cobrado um relatório: "indiscutivelmente, se não fosse a determinação de James Webb de cumprir a visão mais audaciosa do tempo, nossa capacidade de exploração hoje seria totalmente diferente".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos