Janaína Paschoal pede que manifestantes 'voltem para casa' e aceitem a derrota

Janaína Paschoal é a coautora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT) e professora de Direito Penal da Universidade de São Paulo (USP) (REUTERS/Ueslei Marcelino)
Janaína Paschoal é a coautora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT) e professora de Direito Penal da Universidade de São Paulo (USP)

(REUTERS/Ueslei Marcelino)

  • Janaína Paschoal reconhece que não há espaço para contestar os resultados das eleições;

  • No Twitter, disse que tem pedido às pessoas que "tenham calma e voltem para suas casas";

  • Ela afirma que políticos estão usando manifestantes para fins eleitoreiros.

A deputada estadual Janaína Paschoal (PRTB) reconheceu, nesta quinta-feira (10), que não há espaço para contestar o resultado das eleições que deu vitória a Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em mensagens publicadas no Twitter, Paschoal diz que os manifestantes estão sendo usados para fins eleitoreiros.

“Amados, o relatório do Ministério da Defesa, publicado ontem, deixa evidente que NÃO haverá qualquer tipo de contestação das eleições por parte das Forças Armadas. Eu venho dizendo que os políticos que deram essa falsa esperança a vocês MENTIRAM com intuito eleitoreiro”, afirma.

O documento, entregue nesta terça-feira (9) pelos militares ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi apontado por Jair Bolsonaro (PL) como fundamental para atestar a segurança do pleito e era ansiosamente aguardado por parte dos apoiadores do presidente. O texto, no entanto, não traz nenhuma evidência de fraude no processo eleitoral.

Paschoal ainda pontua que defende “a liberdade de manifestação de forma bastante ampla”, mas destaca que “já passou da hora dos apoiadores do presidente aceitarem o resultado” das eleições.

“O que querem?”, questiona. “Arrumar um monte de inquérito e processo? Pensem bem! Se tinham alguma esperança de reverter o resultado, ontem ficou claro que isso NÃO ocorrerá! Não se permitam serem usados!

“Voltem para suas casas”, disse Janaína Paschoal

A deputada também esclareceu hoje que não é a sua voz em áudio que convoca pessoas para as manifestações antidemocráticas promovidas por apoiadores de Bolsonaro.

Contrariando o conteúdo da gravação, Paschoal afirmou que tem pedido “às pessoas que tenham calma e voltem para suas casas”.

Veja: