Janja vê chance de vitória de Lula no 1º turno e critica termo 'virar voto'

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 20.08.2022 - Rosângela da Silva, a Janja, durante campanha do candidato à presidência da República, Lula, no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 20.08.2022 - Rosângela da Silva, a Janja, durante campanha do candidato à presidência da República, Lula, no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a socióloga Rosângela da Silva, a Janja, participou ao lado do marido de reunião virtual com comunicadores na manhã desta terça-feira (13).

Ao final do encontro —convocado como "prioridade da campanha para a reta final da eleição"—, sugeriu que apoiadores passassem a usar a expressão "conquistar mais" eleitores, em vez do "virar votos" muitas vezes encampado por militantes da esquerda.

"Só queria fazer uma sugestão do ponto de vista estratégico da campanha, de a gente usar o termo conquistar mais votos, para a gente ganhar essa eleição no primeiro turno", disse Janja, que fez essa intervenção no encerramento da reunião virtual, já sem a presença de Lula, cujas palavras acompanhou.

"Particularmente não gosto do muito do termo que ouvi companheiros falando, que é o virar votos. Acho que a gente tem que conquistar votos", justificou.

A socióloga disse também que não vai falar mais em segundo turno até o dia 2 de outubro. Segundo ela, existe uma chance real de vitória no primeiro turno. Ela lembrou que o próprio Lula tem dito desde a semana passada que falta muito pouco para liquidar a fatura logo de cara.

Janja encerrou sua participação com uma mensagem de incentivo aos militantes. "Vamos para a luta aí, que é primeiro turno, minha gente. Vamos trabalhar para isso".

Minutos antes, o próprio Lula havia pedido que apoiadores se dedicassem à eleição. O candidato orientou militantes a pregarem a solidariedade na abordagem dos eleitores.

"Nunca antes na história o povo esteve tão necessitado de uma vitória como a nossa. O povo está precisando que este país volte a ter um presidente humanista", disse.