Janja vai à Justiça e pede indenização a conselheiro do Corinthians após ser xingada nas redes

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 24.10.2022 - A socióloga Rosângela da Silva, a Janja, casada com Lula, vai participar de lançamento de um manifesto em defesa dos direitos das crianças e adolescentes. Evento será na PUC,. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 24.10.2022 - A socióloga Rosângela da Silva, a Janja, casada com Lula, vai participar de lançamento de um manifesto em defesa dos direitos das crianças e adolescentes. Evento será na PUC,. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A primeira-dama, Rosângela da Silva, a Janja, entrou na Justiça com uma ação de reparação por danos morais contra o conselheiro vitalício do Corinthians Manoel Ramos Evangelista, conhecido como Mané da Carne, por publicação na qual ele se referiu à socióloga como "putana".

"Vamos aguardar esses anos com o sapo barbudo e a putana da Janja e os quarenta ladrões juntos", escreveu o conselheiro em publicação em rede social em dezembro, que já foi apagada.

Janja pede que ele seja condenado a pagar valor não inferior a R$ 50 mil em danos morais, além de se retratar publicamente dos comentários e de publicar em suas redes sociais a íntegra da sentença. A ação foi protocolada na terça-feira (17), no Tribunal de Justiça de São Paulo.

A ação também aponta outro comentário feito por Evangelista nas redes no qual ele volta a criticar Janja: "Por acaso eu menti" e "Futura primeira-dama só se for sua seu esgoto, lixo. Laranja do sapo barbudo".

Na ação, Janja é representada por três advogadas mulheres: Valeska Zanin Martins, Maria de Lourdes Lopes e Júlia Marques.

Em nota, Valeska afirma que a socióloga foi vítima de um ataque machista e misógino. "Por isso esperamos que a Justiça condene o agressor a reparar os danos causados e a se retratar publicamente", diz a advogada.

"Além de ferir a honra e a imagem da autora como pessoa, feriu a sua imagem como mulher, ao tentar aviltar todos os fundamentais papéis que ela desempenha para a sociedade, a taxando, em outras palavras, como 'puta do presidente'", afirmam as advogadas no documento.

À reportagem Evangelista afirmou que foi infeliz no comentário e pediu desculpas à primeira-dama pela "inverdade" que publicou nas redes.

"Fui infeliz nesse comentário, não procede o que penso, e peço desculpa pela inverdade que postei. Estava nervoso com certos comentários e os cantores que levaram para a posse do presidente", diz ele, em nota.

"Mais uma vez peço desculpas. Quanto ao processo, na verdade, tenho que responder pelas minhas atitudes."

Procurado, o Corinthians diz que não irá comentar o assunto.