Janones revela o que falou que gerou briga com Salles; veja

André Janones, que apoia Lula, brigou nos bastidores com Ricardo Salles, bolsonarista (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
André Janones, que apoia Lula, brigou nos bastidores com Ricardo Salles, bolsonarista (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

Um dos marcos do debate presidencial da noite do último domingo (28) aconteceu nos bastidores: a briga entre André Janones (Avante) e Ricardo Salles (PL), ex-ministro do meio ambiente de Jair Bolsonaro.

Após o evento, Janones divulgou um vídeo revelando o que teria dito a Salles e que teria irritado o ex-ministro a ponto de gerar uma briga – que quase chegou às vias de fato. Apoiador de Lula e candidato a deputado, André Janones afirmou que teve culpa na confusão entre eles.

“Confesso para vocês que tive minha parcela de culpa, uma vez que cheguei nele cara a cara e disse a ele, ao pé do ouvido, que eu ia plantar uma árvore na porta da casa dele. Foi isso que gerou toda a confusão”, disse em vídeo divulgado nas redes sociais.

Enquanto Janones filmava a situação, Salles apontava o dedo para a cara do candidato do Avante. Os dois tiveram de ser apartados por seguranças da TV Bandeirantes.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

O encontro histórico ocorreu na sede da TV Bandeirantes, em São Paulo.

Compareceram ao evento os candidatos:

  • Jair Bolsonaro (PL)

  • Lula (PT)

  • Ciro Gomes (PDT)

  • Simone Tebet (MDB)

  • Felipe d’Avila (Novo)

  • Soraya Thronicke (União Brasil)

As regras do embate foram definidas entre a organização e as equipes de campanha dos candidatos. Ficou acordado, então, que o evento não contará com plateia, sendo que cada candidato poderá ser acompanhado por até 4 assessores dentro do estúdio.

Lula e Bolsonaro ficariam lado a lado durante o debate, porém, conforme informou o jornal Folha de S. Paulo na noite de hoje, isso não acontecerá mais. A mudança aconteceu após pedido da segurança das duas campanhas.

Como foi o primeiro bloco do debate?

No primeiro bloco do debate entre candidatos à presidência, os presidenciáveis responderam perguntas de jornalistas e, em seguida, fizeram perguntas entre eles. O esperado embate entre Bolsonaro e Lula aconteceu logo na primeira pergunta. O debate esquentou quando o tema foi corrupção. Leia aqui um resumo do primeiro bloco.

Como foi o segundo bloco do debate?

Já no segundo bloco, os candidatos responderam perguntas dos jornalistas de veículos que compõe o pool de imprensa que organizou o debate. Destaque para os ataques de Bolsonaro à jornalista Vera Magalhães. Com outros candidatos comentando as respostas dos rivais, o bloco acabou gerando mais interação entre os candidatos. Leia aqui um resumo do segundo bloco.

Veja a seguir as principais regras:

O debate vai se dividir em três momentos: perguntas sobre programas de governo, confronto entre os candidatos e questionamento dos jornalistas dos veículos organizadores.

O primeiro questionamento será destinado a todos os concorrentes. Eles deverão explicar em um minuto e meio as propostas de seus planos de governo.

Depois será a vez do confronto entre os candidatos. Bolsonaro será o primeiro a perguntar e pode escolher qualquer dos postulantes.

Depois do chefe do Executivo, será a vez de Ciro; Luiz Felipe d'Avila; Soraya Thronicke; Lula e, por último, Simone Tebet.

Segundo o portal UOL, no segundo bloco, será a vez dos jornalistas dos veículos envolvidos na organização do evento fazerem as perguntas.

A resposta deverá ser formulada em quatro minutos, sendo metade desse tempo destinado à réplica.

No último bloco, haverá novos confrontos entre os presidenciáveis, e a ordem deve seguir o sorteio prévio.

Nesse momento, serão oferecidos um minuto e mais um para a réplica. Quatro minutos serão usados para resposta e tréplica.

Por fim, os postulantes terão dois minutos para defenderem suas candidaturas.

De acordo com as regras do encontro, caso haja ofensa moral e pessoal, o candidato pode pedir ao moderador o direito de resposta imediatamente após a conclusão da fala do ofensor.

A solicitação será avaliada por um comitê formado por quatro jornalistas da organização do encontro e um advogado.

Caso o pedido seja aceito, o candidato ofendido terá 45 segundos para falar.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)