BID reafirma que aumentará empréstimos para combater mudança climática

Assunção, 1 abr (EFE).- O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) reafirmou neste sábado seu compromisso de aumentar os empréstimos que concede para projetos relacionados com a mudança climática, após destinar em 2016 um total de US$ 2,660 bilhões.

Este número incluiu empréstimos, doações, cooperações técnicas, garantias e investimentos de capital.

O BID aprovou no ano passado que até 2020 30% do financiamento do Grupo BID, que inclui a Corporação Interamericana de Investimentos (CII), seja para questões relacionadas à mudança climática.

Além desses fundos, o BID, que publicou neste sábado seu Relatório de Sustentabilidade em coincidência com a realização em Assunção de sua reunião anual, mobilizou outro US$ 1,1 bilhão de fontes públicas e US$ 310 milhões de fontes privadas para atividades relacionadas à luta contra a mudança climática.

O Relatório de Sustentabilidade do BID afirma que em 2016 Brasil, Argentina, Bolívia, Chile e Colômbia foram os cinco principais destinos de fundos do BID para projetos vinculados a essa luta.

O BID informou que Chile e Colômbia fizeram fortes investimentos em infraestrutura de energia baixa em carbono, "enquanto que Argentina e Bolívia realizaram investimentos significativos para melhorar o impacto no clima na gestão agrícola e de recursos hídricos".

No total, em 2016, US$ 2,127 bilhões foram destinados a projetos de combate, ou seja, "planejamento e aplicação de tecnologias de baixas emissões como nos setores de energia, transporte, agricultura e uso do solo". EFE