Japão endurece controle de fronteiras para viajantes da China, anuncia premiê

Primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, discursa em cerimônia na bolsa de valores de Tóquio

TÓQUIO (Reuters) - O Japão vai endurecer suas medidas de controle de fronteira para viajantes da China por causa da Covid-19 a partir de 8 de janeiro, disse o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, nesta quarta-feira.

Entre as medidas estão a exigência de resultados de teste de coronavírus negativo realizados até 72 horas antes do embarque para passageiros em voos diretos da China, disse Kishida, reforçando as medidas de emergência adotadas pelo Japão em 30 de dezembro.

O Japão continuará a pedir às companhias aéreas que limitem voos adicionais da China, disse Kishida em uma entrevista coletiva de Ano Novo transmitida pela TV.

A decisão vem depois dos resultados dos testes de Covid-19 em viajantes da China nos últimos dias e de medidas semelhantes adotadas por outros países, disse ele.

Uma contagem do Ministério da Saúde do Japão mostra que 53 dos 56 viajantes internacionais que testaram positivo para Covid-19 na chegada aos aeroportos na terça-feira eram da China.

O fim das rigorosas restrições chinesas contra a Covid-19 no mês passado causou um surto do coronavírus em uma população de 1,4 bilhão de pessoas, que tem pouca imunidade natural, tendo sido protegida do vírus desde que surgiu em Wuhan, três anos atrás.

"A situação opaca do surto na China deixou muitos no Japão preocupados", disse Kishida posteriormente a um programa da Fuji TV.

Ele disse que o governo do Japão procurará avaliar o nível de infecção entre os viajantes chineses, realizando exames de PCR ou testes quantitativos de antígenos, bem como vigilância genômica na chegada.

A China rejeitou o ceticismo estrangeiro em relação às suas estatísticas sobre a pandemia como tentativas politicamente motivadas de difamar suas conquistas no combate ao vírus.

(Reportagem de Kantaro Komiya)