Primeiro grupo de evacuados do sul de Ghouta chega à região central da Síria

Cairo, 25 mar (EFE).- O primeiro grupo de combatentes e civis evacuados do sul de Ghouta Oriental, o principal reduto opositor dos arredores de Damasco, chegou neste domingo à província de Hama, após o acordo de rendição firmado com as autoridades sírias.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, os evacuados são cerca de mil combatentes do grupo islamita Legião da Misericórdia, seus familiares e outros civis.

O comboio de ônibus, que deixou Ghouta Oriental ontem à noite, chegou hoje à região de Qalaet al Madiq, no noroeste de Hama, e está previsto que siga viagem até a província de Idlib, um importante reduto rebelde no noroeste da Síria.

Estes evacuados se recusaram a permanecer em suas localidades, que passaram a estar sob o controle de Damasco, e optaram por se dirigir a Idlib, dominada quase que totalmente pela Organização de Libertação do Levante, nome da aliança armada liderada pela ex-filial da Al Qaeda, que também tem presença em Ghouta Oriental.

O acordo entre os opositores e as autoridades estabelece que os combatentes entreguem suas armas pesadas e médias e deixem esta região.

Além disso, exige que as pessoas que precisam de atendimento médico sejam transferidas a hospitais pelo Crescente Vermelho da Síria e depois possam escolher se retornam a Ghouta Oriental ou se também irão a Idlib.

A Rússia é fiadora dessa e outras condições do pacto, que é o segundo alcançado nesta semana na região.

Na última sexta-feira terminou a aplicação do acordo na cidade de Harasta, com a saída do último grupo de civis e combatentes do Movimento Islâmico dos Livres de Sham, que controlava esta cidade.

Segundo o Observatório, 4.800 pessoas deixaram Harasta, entre elas 1.300 combatentes e 2.500 mulheres e crianças, e todos se dirigiram a Idlib.

Após essa operação de evacuação, o exército sírio controla 90% das áreas de Ghouta Oriental que estavam sob o domínio de seus oponentes, um mês depois do começo da ofensiva do regime. EFE