Japão inicia período excepcional de dez dias de férias

Japão é conhecido pela pontualidade de seus transportes

O Japão iniciou neste sábado um período excepcional de dez dias de férias, em parte devido à transição imperial, resultando em aeroportos lotados e longas filas nos caixas eletrônicos.

O arquipélago se prepara para a abdicação do imperador Akihito na terça-feira. No dia seguinte, seu filho mais velho e herdeiro, Naruhito, vai subir ao trono.

Os japoneses, que têm a reputação de trabalhar muito, combinarão os dois feriados deste evento com a tradicional "semana dourada" de vários dias de descanso.

Muitos estavam se preparando para as cerimônias nacionais organizadas em todo o país, enquanto outros aproveitaram a oportunidade para viajar.

Em Narita, o principal aeroporto da capital, espera-se um número recorde de 60.700 viajantes com destino ao exterior, segundo a rede pública NHK.

Longas linhas também se formaram para o trem de alta velocidade Shinkansen na estação de Tóquio, enquanto as rodovias transbordavam de veículos que saíam da capital.

Segundo a operadora turística japonesa JTB, o número de viajantes deve alcançar 24,67 milhões (dentro e fora do país) nesse período, um recorde.

Com os bancos fechados até 6 de maio, o dinheiro começou a esgotar-se nos caixas eletrônicos, em um país que ainda prefere dinheiro ao cartão.

Mas nem todos estão felizes com essas férias extraordinárias, e houve quem se queixasse da falta de acesso a serviços públicos e banheiros ou de não ter onde deixar as crianças por causa dos feriados.

De acordo com uma pesquisa do jornal Asahi Shimbun, 45% dos japoneses não "se sentem felizes" com tantos dias de férias