Primeira minicâmera espacial hiperespectral faz imagens de Cuba e Escócia

Paris, 20 abr (EFE).- Dois meses depois de ter sido lançada ao espaço, a HyperScout, a primeira câmera hiperespectral em miniatura, capturou imagens de Cuba e Escócia, as primeiras de observação da Terra de um instrumento de seu tipo, anunciou nesta sexta-feira a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês).

A HyperScout é capaz de fazer imagens hiperespectrais, com um filtro que separa a luz em 45 comprimentos de onda, onde cada uma corresponde a diferentes cores do arco-íris.

Em comparação, uma câmera normal só divide a luz em três tons: vermelho, verde e azul.

A câmera começou assim seu trabalho como instrumento a bordo de um nanossatélite, o CubeSat GomX-4B, que foi lançado em fevereiro pela ESA.

A localização para a estreia foi escolhida de forma aleatória e coincidiu em fotografar a costa sul de Cuba, além da Escócia.

"A Hyperscout é a primeira câmera hiperespectral com cérebro próprio, projetada para operar em satélites nano, micro e de maior tamanho", destaca o portal do instrumento, criado pela empresa de sistemas de medição Cosine, que quer oferecê-la como solução comercial a empresas de inspeção terrestre em tempo real.

A tomada de imagens mostra o sucesso do teste que poderia motivar possíveis clientes da Cosine a lançar suas próprias HyperScout ao espaço.

O aparelho foi criado com a ajuda de fundos do Programa Tecnológico de Suporte Geral da ESA em parceria com as agências espaciais de Holanda, Bélgica e Noruega. EFE