Japão suspenderá emergência na área de Tóquio, mas pede cautela

Chang-Ran Kim e Tetsushi Kajimoto
·1 minuto de leitura
Primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, durante entrevista coletiva em Tóquio

Por Chang-Ran Kim e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O Japão suspenderá o estado de emergência do coronavírus na área de Tóquio no domingo, disse o primeiro-ministro, Yoshihide Suga, mas a governadora da capital alertou os cidadãos a não baixarem a guarda.

Suga disse que a disponibilidade de leitos hospitalares melhorou em Tóquio e nos três municípios vizinhos, onde as restrições se mantêm desde o início de janeiro.

"Após este desdobramento, decidimos suspender o estado de emergência em Tóquio e nos municípios de Saitama, Chiba e Kanagawa a partir de 21 de março", disse Suga.

Embora pressionado a controlar a Covid-19 antes da Olimpíada no próximo verão, o governo está ansioso para reativar a atividade econômica na área da grande Tóquio, cujos 36 milhões de habitantes representam 30% da população japonesa.

Mas especialistas observaram na reunião do comitê de aconselhamento do governo que as infecções estão aumentando e que um ressurgimento é provável.

É por isto que nem todas as restrições foram descartadas. Após o fim da emergência, os quatro municípios pedirão que os restaurantes fechem às 21h, ao menos até o final de março, para diminuir a chance de um ressurgimento de infecções, disse o governador de Kanagawa, Yuji Kuroiwa, na quarta-feira.

Já a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, pediu cautela aos moradores.

"A primeira leva de vacinas para 14 milhões só começou, e até termos terminado temos que lutar com as próprias mãos".

(Por Chang-Ran Kim, Kaori Kaneko e Tetsushi Kajimoto; reportagem adicional de Rocky Swift)