Japão tem que tomar medidas contra movimentos “excessivos” do iene, diz porta-voz do governo

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O governo do Japão tem que tomar as medidas necessárias para conter quedas excessivas no iene, disse uma autoridade sênior do governo japonês neste domingo, à medida que a moeda cai para seu nível mais fraco em relação ao dólar em 24 anos.

Os comentários de Seiji Kihara, vice-secretário-chefe de gabinete do governo do primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, são os mais recentes a ressaltar a profunda preocupação das autoridades com a queda do iene.

Kihara também disse que o governo considerará "em um futuro não tão distante" relaxar regras para abrir ainda mais as fronteiras japonesas a visitantes estrangeiros, por exemplo, a partir da eliminação do limite no número diário de entrantes.

O iene tem sofrido pressão do dólar, conforme investidores focam o crescente contraste entre os aumentos agressivos na taxa de juros pelo Banco Central dos Estados Unidos e a promessa do banco central do Japão de manter os juros ultrabaixos.

O governo está considerando acabar com o limite de visitantes ao Japão até outubro, noticiou o jornal Nikkei neste domingo. Também removeria as atuais restrições aos visitantes que não estão em pacotes turísticos, disse o Nikkei sem citar a fonte de suas informações.

(Tradução Redação Brasília, 55 11 5047-2695)); REUTERS BC)