Japão oferece casas a R$2,4 mil para evitar ‘esvaziamento’

·1 minuto de leitura
Região próxima a Osaka, no Japão, sofre com esvaziamento. (Foto: Getty Images)
Região próxima a Osaka, no Japão, sofre com esvaziamento. (Foto: Getty Images)
  • Japão enfrenta esvaziamento de suas cidades em áreas rurais.

  • Para lutar contra o problema, governo está oferecendo casas a preços mais baixos.

  • Algumas delas saem por até R$2,4 mil.

Mais um país enfrente problemas de esvaziamento de suas regiões, por conta do envelhecimento e do consequente “encolhimento” populacional: o Japão.

Leia também:

O país, que sofre com altas taxas de envelhecimento da população, teve que tomar medidas para o esvaziamento em algumas regiões rurais. As informações são do portal de notícias Metrópoles.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Neste momento, o governo está oferecendo casas por preços baixos, de até R$2,4 mil, num esforço para levar mais pessoas a essas zonas rurais, e minimizar os impactos econômicos.

Um exemplo é o vilarejo de Wakayama, próximo a Osaka, recordista de perda populacional. Hoje, 18,8% de suas casas estão abandonadas em consequência desse fenômeno.

Outros países também sofrem com a mesma situação

Mas o Japão não está sozinho no enfrentamento deste problema. Uma vila italiana, por exemplo, está vendendo casas por R$50 mil por causa da mesma situação.

Trata-se da cidade de Biccari, na região sudeste da Apulia. As informações são de reportagem da rede de notícias CNN.

Nos últimos anos, a cidade histórica viu sua população se esvaziar – tudo por conta de um fluxo migratório que levou os mais jovens a grandes centros urbanos na Itália e em outros países, principalmente os Estados Unidos.

Enquanto isso, a população mais antiga, fiel à localidade, aos poucos se reduz.

Para balancear esse efeito de envelhecimento, o prefeito decidiu colocar imóveis vazios à venda por preços mais baixos: de R$ 49,7 mil a R$ 86 mil.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos