Jatinho trouxe desgaste a agenda que deveria ter sido positiva, dizem aliados de Lula

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Aliados próximos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentaram que a passagem do presidente eleito pela COP 27 no Egito, uma agenda que deveria ter sido exclusivamente positiva, tenha sido arranhada pela viagem em um jatinho do empresário José Seripieri Filho.

Esses interlocutores afirmam que é inegável que a repercussão foi péssima e trouxe um desgaste à imagem do Lula em um momento em que ele ainda deveria estar colhendo os louros de sua recente eleição.

Mas ponderam que, naquele momento, a equação para a ida ao Egito era complexa e essa foi a solução que apareceu.

Como revelou a coluna Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, Lula viajou ao Egito a bordo de um avião do empresário, fundador da Qualicorp e dono da Qsaúde.

A aeronave do modelo Gulfstream tem capacidade para transportar 12 pessoas e autonomia para voar direto ao país africano, que atualmente sedia a COP27.

Lula e Seripieri são amigos há cerca de dez anos. Durante a campanha eleitoral deste ano, o empresário foi um dos primeiros com quem o petista concordou em se reunir para tratar de suas propostas de governo.