Jeff Bezos e CEO da Amazon deverão testemunhar em investigação da empresa

Jeff Bezos, fundador ex-CEO da Amazon, e Andy Jassy, atual CEO, terão de depor perante autoridades americanas (zz/Dennis Van Tine/STAR MAX/IPx 2017)
Jeff Bezos, fundador ex-CEO da Amazon, e Andy Jassy, atual CEO, terão de depor perante autoridades americanas (zz/Dennis Van Tine/STAR MAX/IPx 2017)
  • FTC investiga as práticas de assinatura e cancelamento do Amazon Prime;

  • Órgão acredita que consumidores estejam sendo enganados para assinar o serviço;

  • Amazon havia pedido que executivos fossem liberados de depor.

Reguladores federais norte-americanos decidiram que o fundador da Amazon, Jeff Bezos, e o CEO da empresa, Andy Jassy, devem testemunhar na investigação do governo sobre a Amazon Prime. A ordem estabelece o prazo de 20 de janeiro para a realização dos depoimentos de Bezos, Jassi e outros 15 executivos do alto escalão da empresa que também foram intimados.

A Federal Trade Comission (FTC), órgão equivalente ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica brasileiro, está investigando desde março de 2021 as práticas de inscrição e cancelamento do Amazon Prime. Segundo o órgão, a empresa pode estar enganando os usuários para que se inscrevam no serviço, sem fornecer uma maneira simples de cancelar e evitar cobranças recorrentes.

Desde então, outros cinco serviços de assinatura de propriedade da Amazon: Audible, Amazon Music, Kindle Unlimited, Subscribe & Save e um programa de terceiros não identificado não oferecido pela Amazon. Atualmente a Amazon Prime tem cerca de 200 milhões de clientes em todo o mundo. Destes, 150 milhões estão localizados nos Estados Unidos.

O serviço é uma importante fonte de receita para a Amazon, assim como um grande provedor de dados dos clientes para a empresa, que administra um império de comércio eletrônico. Nos Estados Unidos, o serviço sai pelo valor de US$ 139 anuais, enquanto no Brasil o custo de um ano sai no valor de R$ 119.

A empresa apresentou uma petição ao FTC no mês passado, se opondo às intimações de Bezos e Jassy, afirmando que não havia identificado "nenhuma razão legítima para precisar do depoimento deles quando pode obter as mesmas informações e mais, de outras testemunhas e documentos." Segundo a empresa, o FTC estaria realizando uma perseguição contra Bezos, Jassy e outros executivos, chamando as informações exigidas de “excessivamente amplas e onerosas”.