Jeff Bezos, fundador da Amazon, anuncia que vai deixar direção da gigante do e-commerce no 2º semestre

Extra
·2 minuto de leitura

A varejista on-line americana Amazon informou nesta terça feira que o seu fundador, Jeff Bezos, vai deixar o comando direto da empresa. Segundo homem mais rico do mundo, ele será substituído à frente da Amazon por Andy Jassy, executivo responsável pela area de computação em nuvem da empresa americana.

Bezos continuará na empresa, mas no papel de presidente-executivo do Conselho de Administração. A transição será concluída no terceiro trimestre de 2021, informou a companhia.

“A Amazon é o que é por causa da invenção. Nós fazemos coisas malucas juntos e depois as tornamos normal”, afirmou Bezos no comunicado divulgado nesta terça-feira pela companhia com os resultados do quarto trimestre de 2020.

Bezos, que ocupava a liderança do ranking de bilionários desde 2017, perdeu o posto para Elon Musk, diretor executivo da Tesla e da SpaceX, em janeiro. Em novembro de 2020, Musk já havia destronado o fundador da Microsoft, Bill Gates, e passou a ocupar o segundo lugar na lista dos mais ricos do mundo.

Bezos, que fundou a empresa há 27 anos como uma livraria na internet, disse ainda que continuará participando das iniciativas importantes da Amazon, "mas também terei tempo e energia para focar em minhas outras paixões", afirmou. "Nunca tive tanta energia, e não se trata de aposentadoria".

Ele citou inovações nas quais a Amazon foi pioneira, como avaliações de clientes sobre produtos, 1-Click (compras em um clique), recomendações personalizadas, entrega insanamente rápida do Prime e loja Just Walk Out, que não precisa de caixas.

Também apontou inovações tecnológicas que se tornaram populares e alçaram a Amazon ao rol de gigantes da tecnologia global, como o leitor de livros Kindle e a assistente virtual Alexa.

No texto, citou o próprio conceito de marketplace, uma tendência que se aprofunda no comércio eletrônico em todo o mundo.

“Pessoas bocejam. Esse bocejo é o maior elogio que um inventor pode receber. Quando você olha para nossos resultados financeiros, o que você realmente está vendo são os resultados acumulados no longo prazo da invenção. Neste momento, vejo a Amazon no seu estado mais criativo de sempre, tornando-se um momento ideal para esta transição”, afirmou o bilionário.

Bezos ainda teria uma grande vantagem sobre Musk se não fosse por seu divórcio, que o viu ceder cerca de um quarto de sua participação na Amazon para sua ex-mulher MacKenzie Scott e sua filantropia. Ele doou ações no valor de cerca de US$ 680 milhões em novembro.