Jerônimo Rodrigues vence ACM Neto e mantém o PT no poder na Bahia; conheça o novo governador

O ex-secretário estadual de Educação da Bahia Jerônimo Rodrigues (PT) foi eleito governador do estado neste domingo, desbancando ACM Neto (União Brasil), numa eleição em que o ex-prefeito de Salvador começou como favorito à vitória em primeiro turno. O triunfo do petista, que disputou sua primeira eleição em 2022, garante a continuidade do seu partido à frente do estado baiano em mais uma derrota do carlismo.

O ex-secretário estadual de Educação da Bahia Jerônimo Rodrigues (PT) foi eleito governador do estado neste domingo, desbancando ACM Neto (União Brasil) numa eleição em que o ex-prefeito de Salvador começou como favorito à vitória em primeiro turno. O triunfo do petista, que disputou sua primeira eleição em 2022, garante a continuidade do seu partido à frente do estado baiano em mais uma derrota do carlismo.

O sucesso nas urnas de um nome até então pouco conhecido dos bahianos é função da forte influência do PT na Bahia, que governa desde 2007. O ex-presidente Lula (PT) exerceu forte influência ao intensificar no segundo turno a dobradinha com Jerônimo no estado em que teve quase 70% dos votos no primeiro turno.

Com 57 anos, o novo governador nasceu no pequeno município de Aiquara, filho de pai agricultor e mãe costureira. Após uma infância humilde, Jerônimo cursou engenharia agrônoma na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e posteriormente se tornou professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). É casado com a também engenheira e professora universitária Tatiana Velloso, com quem tem um filho.

Envolvido com o movimento estudantil durante a faculdade, Jerônimo se aproximou do PT nos anos 90, quando se filiou à legenda. Em 2007, o partido desbancou o "carlismo", como ficou conhecida a corrente política liderada pelo ex-governador Antônio Carlos Magalhães, com a eleição do ex-ministro Jacques Wagner. Nas gestões estaduais petistas, integrou as equipes das secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação e de Planejamento, pasta considerada mais estratégica.

Em 2011, atuou como secretário e assessor especial no Ministério do Desenvolvimento Agrário do governo de Dilma Rousseff. Em 2014, retornou à Bahia para atuar na campanha pela eleição do atual governador, Rui Costa (PT). No governo dele, foi secretário de Desenvolvimento Rural e secretário estadual de Educação da Bahia, cargo que deixou para concorrer este ano ao governo estadual.

Eleições na Bahia

A vitória de Jerônimo foi quase consagrada ainda no dia 2 de outubro, durante o primeiro turno, quando recebeu 49,45% dos votos válidos. A campanha do petista foi marcada pela associação com a imagem do ex-presidente Lula (PT) para repetir a estratégia que elegeu Costa em 2014..

Na época, o atual governador também era um ex-secretário pouco conhecido que começou em baixa nas pesquisas. Disparou na reta final do pleito e saiu vitorioso ainda no primeiro turno graças ao apoio do então governador Jaques Wagner (PT) e dos ex-presidentes Lula e Dilma.

Neste ano, as pesquisas começaram a campanha apontando a possibilidade de uma vitória de ACM Neto, principal herdeiro do "carlismo", ainda na primeira rodada. O candidato do União Brasil, que foi prefeito da capital baiana durante dois mandatos com índices altos de aprovação, chegou a somar potencial de 67% dos votos válidos em levantamento do Instituto Datafolha realizado no fim de agosto, a pouco mais de um mês de distância do pleito.

A popularidade do ex-prefeito, no entanto, começou a cair devido às polêmicas raciais envolvendo sua autodeclaração como pardo à Justiça Eleitoral, o que rendeu uma série de acusações que repercutiram nas redes sociais. A polêmica envolvendo ACM Neto foi explorada pelo candidato petista, que acabou vencendo a eleição.